Sol... Saudade

Posted: 30 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
1

Tudo eu daria... Para abraçar novamente o Sol... Só mais um dia.

Ego Placebo

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
1

Alvida mentia para os amigos de internet ser vegetariana. E com eles, demonstrava ser vegan. Criticava ferrenhamente o uso de qualquer produto de origem animal. Tudo por um falso status. Contudo quando estava sozinha, sempre ousava comer queijo, chocolate e sorvete. Algumas vezes até um ou dois peixes. Sempre às escondidas.
Alvida mentiu muito para si... Entretanto diferentemente de seus amigos doenças sempre lhe afligiam... E essas agiam para valer.

Tragédia - Poetronic Music

Posted: 27 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Poesia originalmente publicada em 12/09/2010.

Afetos Cristalizados

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , , ,
0

Tantas memórias esquecidas,
Tantos anseios carbonizados...
Remorso de apaixonados suicidas.

Bússola Para O Fim

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
1

Nuvens carregadas de insatisfações,
Tão previsíveis quanto todo o vento.
Raios encandecestes de preterições,
Tão naturais quanto o condicionamento.

Rios poluídos por pura corrupção,
Águas tão fluidas quanto o sangue.
Montanhas colossais de indignação,
Tão concretas quanto à lama do mangue.

Mares de incerta paz encarcerada,
Em tempestade de combate iminente.
Ondas que quebram em vidas segregadas,
Sem considerar afogar culpado ou inocente...
No olho do furacão, esperando vozes sagradas,
O humano vai se arruinando em deleite consciente.


Aflição Futura 2

Posted: 22 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Não passais a vida se afligindo, se algum urubu irá te comer,
Tu não viverás a morte para sentir...

Ação Direta (Revide)

Posted: 21 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Não eram bem uma ONG, nem uma associação. Mas mantinham aquele espaço de resgate e adoção de animais com muito esforço e poucas doações. Que com o passar dos anos e acúmulo de dívidas estava ameaçado de fechar as portas por falta de recursos.
Os ativistas em desespero secretamente planejaram uma ação direta: Um assalto.
Cometeram tal ato de libertação, onde havia muito dinheiro, pouca segurança e menor visibilidade. O alvo foi o açougue da esquina. Depois no açougue do outro quarteirão, depois em outro. E assim foram bem sucedidos em pelo menos 13 assaltos. Até hoje se fala da tal “Gangue de Açougueiros”. Só não sabem que todos os assaltantes eram vegetarianos.

Desistência Insistente - Poetronic Music

Posted: 18 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Poesia originalmente publicada em 14/10/2010.

Precedência Em Ardor

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Tão bela subserviência dolorosa,
Que se obstinam nomear amor,
Ah! Solidão como és deleitosa!

Abstinência

Posted: 16 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , , , ,
0

Suspenso ao ar da incerteza futura,
O povo reza por um dia de consciência.
Imerso em tolice produzida pela cultura,
O povo se embriaga em cega obediência...
Controverso em ação, razão e postura,
O povo se obriga a conviver por carência.
Disperso em sentimentos de ditadura,
O povo deseja a prisão da livre dependência.
Propenso à individualidade cruel, fugaz e pura
O povo quer somente arruinar-se em decadência.
O bom-senso se encaixa somente na moldura,
Quando o povo deseja que moral seja inocência.
O povo quer inconsciência da iminência de ausência...
Tudo seria melhor sem essa humana tortura,
Que faz da loucura o sentido da mais obscura ciência,
E a demência a essência para uma impossível cura.

Fátua Faia

Posted: 15 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Com humana presunção,
Envenenam toda a terra,
Em lanço de celebração.

Retorno De Memórias Perdidas

Posted: 14 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Carlos finalmente se livrou da mãe com Alzheimer abandonando-a num asilo. Não passaram cinco anos e ela foi a óbito deixando uma bela fortuna. Contudo, ele também já apresentava evidentes sinais da doença do esquecimento. Tanto que agora morava na rua sem saber de onde veio ou para onde iria... E o mais importante, Carlos não lembrava se tinha alguém que fosse lembrar-se de quem ele era.


Simetria Reconhecida

Posted: 12 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Depois de toda drástica agonia,
O turbilhão só trará mais vida...
Terminando mais um dia.

Aquele Momento - Poetronic Music

Posted: 11 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0


Poesia originalmente publicada em 24/10/2010.

O Sopro De Todas As Coisas

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Um sopro de realidade,
Perante a poeira que teima cegar...
Um suspiro de insanidade,
Perante os fatos que teimam amargar.
Um beijo de imoralidade,
Perante o pudor de sempre se negar.
Um abraço de liberdade,
Perante o cotidiano que teima aprisionar.
Um sopro de realidade...

O Sonho Com A Fantasia

Posted: 10 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Ganhos dobrados de perdas irreparáveis,
Caminhos cruzados por passos em rota vazia...
Sempre seguindo pela alameda dos precipícios agradáveis.

Falso Reflexo

Posted: 9 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

O lamento da falsidade social....

Desertos Artificiais

Posted: 8 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Idálcio adorava incomodar vegetarianos com perguntas hipotéticas idiotas. Como por exemplo: “E se você estivesse num ilha deserta?” “E se você estivesse na selva?” “E se você estivesse no deserto?” “O que comeria?” “Mataria um animal para comer?”
Certo dia ele se aventurou numa ilha que deveria ser deserta. E ao pegar a primeira onda, uma onda de tubarões o devorou. Afinal, se não fossem turistas surfistas que destruíram aquele local, a ilha ainda seria deserta de humanos.