Infindável Sina

Posted: 31 de dez de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Sob a expectativa dum primeiro passo,
Vamos sobrevivendo à rotina...
Do perene espectro do acaso.

Dissolvida Corrente

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Quando as luzes apagarem,
Deixe de lado o egoísmo...
Tudo não passa de miragem,
Conquistas com doce cinismo.
Parte da oxidada engrenagem...
Sempre o afetivo consumismo.
Sempre a tentativa de vantagem...

Quando despertar realmente,
Talvez seja tarde para lamentar.
A vida esvai tão rapidamente,
Quanto o tempo se faz contar...
Estamos em flama decadente,
Incandescente vida a acorrentar.
O ego se torna completamente ausente,
Esperando a revolução acalentar...
Sob corrente social jaz a agonia perpetuar.


Olhar Derretido

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Alguns momentos derretidos se aperfeiçoam em poças de satisfação.

Teste Consentido 2

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Jade dizia ser a favor de testes em animais. Afinal os produtos de beleza e medicamentos deveriam ser testados em alguém que não fosse humano, já que os animais foram feitos para servirem aos humanos segundo ela.
Entretanto, aquela máscara para cílios aprovada em testes com lebres não teve o mesmo resultado em cílios humanos. Muito menos nos de Jade. E mesmo recebendo farta indenização, os testes continuam para tentar recuperar a visão dela.

Certeza Especista - Poetronic Music

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0


Poesia originalmente publicada em 20/10/2010.

Aspiração De Ser

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Quando eu crescer
Quero voltar a ter,
A inocência ao ver.

Seguindo A Bússola

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , , ,
0

Um passo em falso por uma vida falsa,
Sempre em busca de sonhos inválidos.
Rastejando por restos de oca carcaça,
Sempre em busca de anseios pálidos.

Um passo incerto de volta à inocência,
À procura dos amores mais imaginários.
Escorregando em lama de aparência,
Sempre em busca de sonhos sedentários.

Um passo seguro de que não haverá fim,
Juntando de volta aos pedaços daquele momento
Em busca do real sentimento!
Sem angústia, sem tormento...
De volta a mim.
De volta por mim.

O Observador Do Desprezo

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Observando com desdém o humano mundo entorpecido que o cerca.

Desajuste Natural

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Mesmo sendo enfermeira e salvando vidas constantemente, Kátia estava infeliz, depressiva e fixamente tinha pensamentos suicidas. A vida não lhe fazia sentido e ela não se adaptava aquela convivência humana.
Enquanto Kátia viajava a um congresso, houve uma catástrofe natural em sua cidade e todos seus colegas e familiares morreram. Contudo pela primeira vez na vida, sentiu ampla conectividade com o mundo sozinha.

Nem Morto - Poetronic Music

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Poetrix originalmente publicada em 02/08/2010.

Sem Bússola

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Caminhos exilados,
Tantos horizontes,
Tantos humanos desorientados...

Eclipse Secundário

Posted: 26 de dez de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Enquanto tantos esperavam um apocalipse
Eu só busquei a ascensão...
Enquanto tantos apreciavam o lunar eclipse
Eu toquei o sol com toda paixão!

Eu me queimei sem culpa e lambi a cicatriz...
Enquanto tantos receavam.
Eu beijei a insensatez de ser real e feliz...
Enquanto tantos invejavam...

Enquanto tantos me desejavam fiz com quem eu quis.

Metamorfose

Posted: 10 de dez de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Álvaro sempre gostou de animais. Tanto que quando criança foi exímio lobinho. Destacava-se em tudo. Entre os escoteiros descobriu que cresceria um belo veado! Com o passar dos anos e com a independência se tornou forte e hoje, é um suntuoso urso.


Sol... Saudade

Posted: 30 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
1

Tudo eu daria... Para abraçar novamente o Sol... Só mais um dia.

Ego Placebo

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
1

Alvida mentia para os amigos de internet ser vegetariana. E com eles, demonstrava ser vegan. Criticava ferrenhamente o uso de qualquer produto de origem animal. Tudo por um falso status. Contudo quando estava sozinha, sempre ousava comer queijo, chocolate e sorvete. Algumas vezes até um ou dois peixes. Sempre às escondidas.
Alvida mentiu muito para si... Entretanto diferentemente de seus amigos doenças sempre lhe afligiam... E essas agiam para valer.

Tragédia - Poetronic Music

Posted: 27 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Poesia originalmente publicada em 12/09/2010.

Afetos Cristalizados

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , , ,
0

Tantas memórias esquecidas,
Tantos anseios carbonizados...
Remorso de apaixonados suicidas.

Bússola Para O Fim

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
1

Nuvens carregadas de insatisfações,
Tão previsíveis quanto todo o vento.
Raios encandecestes de preterições,
Tão naturais quanto o condicionamento.

Rios poluídos por pura corrupção,
Águas tão fluidas quanto o sangue.
Montanhas colossais de indignação,
Tão concretas quanto à lama do mangue.

Mares de incerta paz encarcerada,
Em tempestade de combate iminente.
Ondas que quebram em vidas segregadas,
Sem considerar afogar culpado ou inocente...
No olho do furacão, esperando vozes sagradas,
O humano vai se arruinando em deleite consciente.


Aflição Futura 2

Posted: 22 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Não passais a vida se afligindo, se algum urubu irá te comer,
Tu não viverás a morte para sentir...

Ação Direta (Revide)

Posted: 21 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Não eram bem uma ONG, nem uma associação. Mas mantinham aquele espaço de resgate e adoção de animais com muito esforço e poucas doações. Que com o passar dos anos e acúmulo de dívidas estava ameaçado de fechar as portas por falta de recursos.
Os ativistas em desespero secretamente planejaram uma ação direta: Um assalto.
Cometeram tal ato de libertação, onde havia muito dinheiro, pouca segurança e menor visibilidade. O alvo foi o açougue da esquina. Depois no açougue do outro quarteirão, depois em outro. E assim foram bem sucedidos em pelo menos 13 assaltos. Até hoje se fala da tal “Gangue de Açougueiros”. Só não sabem que todos os assaltantes eram vegetarianos.

Desistência Insistente - Poetronic Music

Posted: 18 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Poesia originalmente publicada em 14/10/2010.

Precedência Em Ardor

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Tão bela subserviência dolorosa,
Que se obstinam nomear amor,
Ah! Solidão como és deleitosa!

Abstinência

Posted: 16 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , , , ,
0

Suspenso ao ar da incerteza futura,
O povo reza por um dia de consciência.
Imerso em tolice produzida pela cultura,
O povo se embriaga em cega obediência...
Controverso em ação, razão e postura,
O povo se obriga a conviver por carência.
Disperso em sentimentos de ditadura,
O povo deseja a prisão da livre dependência.
Propenso à individualidade cruel, fugaz e pura
O povo quer somente arruinar-se em decadência.
O bom-senso se encaixa somente na moldura,
Quando o povo deseja que moral seja inocência.
O povo quer inconsciência da iminência de ausência...
Tudo seria melhor sem essa humana tortura,
Que faz da loucura o sentido da mais obscura ciência,
E a demência a essência para uma impossível cura.

Fátua Faia

Posted: 15 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Com humana presunção,
Envenenam toda a terra,
Em lanço de celebração.

Retorno De Memórias Perdidas

Posted: 14 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Carlos finalmente se livrou da mãe com Alzheimer abandonando-a num asilo. Não passaram cinco anos e ela foi a óbito deixando uma bela fortuna. Contudo, ele também já apresentava evidentes sinais da doença do esquecimento. Tanto que agora morava na rua sem saber de onde veio ou para onde iria... E o mais importante, Carlos não lembrava se tinha alguém que fosse lembrar-se de quem ele era.


Simetria Reconhecida

Posted: 12 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Depois de toda drástica agonia,
O turbilhão só trará mais vida...
Terminando mais um dia.

Aquele Momento - Poetronic Music

Posted: 11 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0


Poesia originalmente publicada em 24/10/2010.

O Sopro De Todas As Coisas

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Um sopro de realidade,
Perante a poeira que teima cegar...
Um suspiro de insanidade,
Perante os fatos que teimam amargar.
Um beijo de imoralidade,
Perante o pudor de sempre se negar.
Um abraço de liberdade,
Perante o cotidiano que teima aprisionar.
Um sopro de realidade...

O Sonho Com A Fantasia

Posted: 10 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Ganhos dobrados de perdas irreparáveis,
Caminhos cruzados por passos em rota vazia...
Sempre seguindo pela alameda dos precipícios agradáveis.

Falso Reflexo

Posted: 9 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

O lamento da falsidade social....

Desertos Artificiais

Posted: 8 de nov de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Idálcio adorava incomodar vegetarianos com perguntas hipotéticas idiotas. Como por exemplo: “E se você estivesse num ilha deserta?” “E se você estivesse na selva?” “E se você estivesse no deserto?” “O que comeria?” “Mataria um animal para comer?”
Certo dia ele se aventurou numa ilha que deveria ser deserta. E ao pegar a primeira onda, uma onda de tubarões o devorou. Afinal, se não fossem turistas surfistas que destruíram aquele local, a ilha ainda seria deserta de humanos.

Súplica Medular

Posted: 28 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Segura minha mão até sangrar...
Segura meus braços até os ossos...
Abraça-me forte até me sufocar!
Usemos agora todos os esforços!

Não haverá reflexo sem que quebremos os conceitos,
A hora de desistir da fé mundana já passou!
Não haverá sexo sem que fodamos os preconceitos,
O tempo de se redimir já foi e ninguém se confessou!

Segura minha mente até apagar...
Suga minha ideia com toda gula!
Abraça-me forte até amalgamar...
Vem me amar, arranca minha medula!

Metade Do Entendimento 2

Posted: 27 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
1

Um sátiro impedido de celebrar
Há de sentir metade prisão
De ser bode ao humano.

Pranto Ao Rio

Posted: 26 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Tempo ensolarado,
Íntimo vazio,
Delicado passado.

Sonhos Íntimos

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Marcelo desde criança sonhava em ser astronauta. Sonhava em conhecer outros planetas, outros astros, outras galáxias... O dinheiro para os estudos não foi suficiente. E o sonho de ser astronauta se tornou abstruso com o passar dos anos. Contudo formou-se competente farmacêutico com especialização em manipulação. Está satisfeito viajando por galáxias que jamais outros astronautas conhecerão!

No Meio - Poetronic Music

Posted: 25 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Poesia originalmente publicada em 19/11/2010.

Marcha No Jardim Do Tempo

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , , ,
0

Marchando pelo jardim das secas incertezas,
Pisou nas flores murchas de antigas paixões.
Por sede, bebeu na fonte amarga das tristezas,
Arrependeu-se de ter outorgado concessões.

Marchando pelo jardim das floridas vinganças,
As pétalas voaram para tão longe da memória.
Por fome, devorou os botões das esperanças,
Logo o arrependimento arraigou-se na história.

Marchando rumo ao fim sem nenhuma glória,
O pólen da sorte passou sem fecundar esperanças.
Sem vitórias ou derrotas, sem dores e sem lembranças!

Aflição Futura

Posted: 24 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Não passais a vida se afligindo, se algum urubu irá te comer,
Tu não viverás a morte para sentir...

Acepção Esquecida

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

A busca incessante por um calvário baseado em fé,
Cessa a tentativa concomitante de se viver a vida,
Em liberdade cada instante como realmente é.

Metade Do Entendimento

Posted: 22 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Uma sereia presa num aquário,
Há de sentir metade prisão,
De ser peixe ao humano.

Terceto homônimo publicado em 20/05/2010.

Testes Por Um Bem Menor

Posted: 21 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Bruna sempre disse ser contra vivissecção e testes em animais em geral. Até o dia em que seu filho de apenas dois anos apresentou uma patologia rara. Um grupo de cientistas estava buscando a cura para tal enfermidade. Contudo, para assegurarem a cura seriam necessários alguns testes. E ela, mesmo sendo contra testes em animais, se dispôs a ser cobaia voluntária.

As Incríveis Aventuras Do Ego

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Um abutre sorriu para mim...
No deserto árido e nebuloso.
Tantas estradas rumo ao fim...
Nenhum suspiro de sonho glorioso.

A areia se dissipou em vento...
No deserto das doces lembranças.
Alvitres do melhor momento...
Em lama sem forças ou esperanças.

O escorpião me guiou pelo jardim,
Mostrando a dor de ser rancoroso.
Sentimentos ceifados como capim,
Sem mais remorsos após o gozo!

Uma serpente ensinou-me danças...
No pântano do esquecimento...
Em meio a tempestuosas mudanças,
Tudo convivido em apático sentimento,
Tanto ressentimento por nunca se permitir alianças.

Fazendo Parte - Poetronic Music

Posted: 18 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , , ,
0

Poesia originalmente publicada em 10/12/2010.

Rotina Vital

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

O ponto certo a considerar inicial,
Depois do erro intencional...
Em repetição acidental.


Transfagia

Posted: 17 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Desenho baseado na realidade trans violentada cotidianamente numa nação injusta, transfóbica e sem escrúpulos!
Por todas as vítimas trans que morrem ao longo da vida até o fim.


Desenho desencadeado depois de rever o vídeo.

Flores Artificiais

Posted: 14 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Luzes artificiais,
Cruzam os céus acinzentados,
Mesmo assim,
Não mudam a parda tonalidade...

Vidas artificiais,
Cruzam vidas de escravizados,
Mesmo sem carecer,
Mais importante é a vaidade!

Sonhos artificiais,
Cruzam pesadelos idealizados,
Mesmo sendo
Mais confortáveis que a realidade.

Tempos artificiais,
Cruzam os dias revogados,
Mesmo apontando,
Os momentos sem continuidade.

Desejos artificiais,
Cruzam os prazeres ignorados,
Mesmo censurando,
A vida é tao semente o desejo da infida liberdade.

Do Barro Ao Pó

Posted: 11 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Adão e Eva se casaram por partilharem grandioso objetivo. Contudo perceberam que não poderiam dominar o mundo. Logo, já que o planeta não seria deles, o destruiriam! Concordaram de enquanto fosse possível, procriariam ininterruptamente.

Areia Da Realidade - Poetronic Music

Posted: 9 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Poesia originalmente publicada em 20/10/2010.

Mais E Mais Mortais

Posted: 7 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Prole de preservativos furados,
Tantos acidentes vitais...
Orbe de degenerados.


Sonhos Esquecidos Pelo Próprio Bem

Posted: 30 de set de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
1

Os sonhos faleceram mesmo sob armas de heróis pervertidos.
Todos sempre falam sobre dar poder para se conhecer alguém.
Mas nunca haverá quem dê poder a ninguém...
Afinal ninguém reconheceu heróis bem sucedidos...
Todos os heróis de suas miseráveis vidas vazias. Todos fodidos!
Em silêncio sob o olhar censor de quem se deu bem,
A vida vai esvaziando aos cantos desses caminhos perdidos...
Sem tocar o próprio silêncio, não se sabe o que há além.
Ao fim, todos os devaneios de viver permaneceram falidos.
Como nunca iniciados, como nunca existidos... Tudo bem...
É só uma ilusão de heroísmo viver sem sermos corrompidos.
Afinal heroísmo é viver e alcançar ser alguém além de alguém.
Afinal por mais que lute, nem sempre você é o que você tem.

Sonhos Em Teias

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Seguindo a intangível transparência dos sonhos,
Vamos agarrando-se a teias de incertezas.

Livres Tendências

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

        Safira tornou-se nudista por querer sentir-se mais livre e porque odiava como a moda aprisionava e ditava como deveria se vestir. Contudo, em sua comunidade, se tornou depiladora artística. Sempre ditando as tendências mais atuais.

Simples Comparação (Ou Constatação) - Poetronic Music

Posted: 29 de set de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Poetrix originalmente publicada em 30/05/2010.

Basta Viver

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Como se não já bastasse a gravidade na terra,
As pessoas tentam se subjugar ao alento do chão!
Como se não bastasse a constante morte em guerra,
As pessoas querem viver sobrevidas em autoexclusão.

Como se não já bastasse a dor de respirar esse ar,
As pessoas tentam sufocar-se com tóxicos juízos.
Como se não já bastasse tantas lágrimas a rolar,
As pessoas se reprimem em chorar, gozar ou dar risos...

Como se não bastasse a vida ser real pesadelo,
As pessoas querem ditar limite do ensejo onírico!
Como se não bastasse o ter que detestar o espelho,
As pessoas querem que o auto flagelo seja empírico.

Como se não bastasse ter que viver a própria vida,
As pessoas querem encenar para cada personagem em cena.
Como se não bastasse ter pena por uma vida nunca vivida,
As pessoas querem matar as outras nessa vital arena...
As pessoas só querem felicidade plena,
Se a felicidade alheia for violentamente emudecida!


Em Penúria

Posted: 27 de set de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

O céu então ruiu,
Da chuva em lamúria...
Quando o Sol partiu.

Beijo Oco

Posted: 24 de set de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Quando adolescente apaixonava-se por vazios...
O tempo passou e o vazio consumiu qualquer paixão.

Desenho original de 2005. (As coisas mudaram... Principalmente noção de anatomia!)

Planos Ao Vento

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Anne se cansou de projetar tudo na vida e nada do planejado acontecer. Cansou de estudar e correr em busca de sonhos alheios. Um dia decidiu pegar um barco e seguir pelo caminho que o vento levasse. Sem planejar nada. Passou a se surpreender a cada amanhecer. Pois sempre acordava com o vento em seu rosto em um novo lugar.

Simbiose De Certezas - Poetronic Music

Posted: 21 de set de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Poesia originalmente publicada em 29/08/2010.

Jardim Temporal

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

E o dia ensolarado que esperava para plantar, não aconteceu.
E o momento para dizer “eu te amo” nunca chegou.
Você deixou passar as primaveras e apodreceu...
Os sentimentos, o tempo amargou.

Você esperou em vão o dia exato para ser usual,
Enquanto todos fizeram o contrário...
Você calou com medo dum não consensual.
Enquanto todos saíram do armário...
Você só queria mais tempo para ser imortal...
Mas o jardim secou antes de um pacto agrário...
E no sonho identitário você ficou sem ser real.

Lux Alt - Goodtrip [2013]

Posted: 18 de set de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , , ,
1

01 - Crepúsculo Boreal - Intro

02 - Ceu Derretido (Bike 2000 Mix)

03 - A Porta Do Saber (Ganesha Mix)

04 - Atraso (Teddy Bear Mix)

05 - Dementia Praecox (Shiva Mix)

06 - Voar... Voar... (Bike 2000 Mix)

07 - Olhos Secos - Outro (Alice Mix)



Esse bootleg não é um álbum musical. Contudo há musicalidade. É um conjunto de experimentações que registram experiências. É algo para ouvir e sentir mais do que só ouvir. É algo experimental para experimentação e acompanhamento.
A pretensão não foi fazer algo agradável ou dançante ou apropriado ao deleite ordinário. Embora isso possa acontecer. Portanto deixe de lado julgamentos técnicos ou de enquadramento e sinta. Experimente o êxtase.

Senti amor, senti paz, me senti abraçado pelo mundo, me senti protegido debaixo do edredom, senti como se o tempo não existisse, senti amor por tudo, me senti parte do mundo e de todas as suas coisas, senti mais de mim, senti mais do mundo. Senti.