Cópula Sem Sede - Poetronic Music

Posted: 23 de dez de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0


Poesia originalmente publicada em 30/10/2009.

Consumos Que Consomem

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Mesmo se dizendo anticonsumo, e criticando quem comprava roupas e bens tecnológicos. Aquele grupo de neo libertários adorava usar seus cartões de crédito. Para fazerem as carreiras, não para comprar. Afinal nenhum traficante ali nas áreas aceitava cartão ainda.

Zéfiros

Posted: 21 de dez de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

"... Estou exatamente onde queria estar." -
 (Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças)

Sem Adormecer

Posted: 20 de dez de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Há de ser mais importante viver
Poeticamente do que,
Ler ou fazer poesia.

Não Humano 2

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

“Viado... O teu cu!”

Suicida Emulação

Posted: 17 de dez de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Você olha tanto os “defeitos” alheios,
Que esquece que quebrou o espelho.
Você condena quem aumenta os seios,
Mas tem tatuagem até no joelho!
Você culpa a tv por fúteis devaneios,
Mas “precisa” comprar mais um aparelho!

Você diz que quer ser livre de verdade,
Mas se prende a entes, estudo, trabalho...
Você julga o próximo por futilidade,
Mas pinta o cabelo pra não ser grisalho.
Você condena quem vive a sexualidade
Mas daria seu reino por um bom caralho!

Você se preocupa tanto com diferentes
Que esquece que virou uma cópia barata!
Você condena seus desejos como indecentes
E pouco a pouco se mata! Pouco a pouco se mata!
E pouco a pouco...

No Border! No Nation!

Posted: 12 de dez de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0


STOP DEPORTATIONS!

Oral Ação

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Como uma droga, Francinete costumava rezar para poder se sentir bem. E até chegou a participar dum grupo de orações. Entretanto aquele vinho oferecido na confraternização a fez mudar de vício.

Nelumbo Nucifera

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

“Que mesmo das profundezas lodosas da vida,
Possam brotar as suntuosas ocasiões.”

Precioso Precisar

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Preciso de amor, preciso de bebida.
Preciso de drogas, preciso de mais uma vida!
Preciso de um caminho, preciso de saída.
Preciso da rua e de uma casa aquecida.

Preciso de sexo, preciso de tecnologia.
Preciso de paz, preciso de uma bela orgia!
Preciso de calor, prazer e anestesia.
Preciso de menos fato e de mais fantasia.

Preciso de música, preciso de ar puro!
Preciso de uma buceta e de um pau bem duro!
Preciso de natureza, preciso estar seguro.
Preciso abrir janelas e demolir qualquer muro!

Preciso de amizades e de sinceridade.
Preciso de comida, bebida e futilidade.
Preciso de ouvido, voz e consciência da realidade,
Preciso conhecer mais minha insanidade!
E sempre preciso de mais e mais liberdade!

Preciso precisar para poder me aguentar!
Preciso, precioso, precisar!
Preciso precisar para poder me aguentar!
Preciso, precioso, precisar!


Deixe-Se E-bulir!

Posted: 11 de dez de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

O cu serve tão somente,
Para coisas expelir!
Ejacule prazer que sente!

Não Humano

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

“Cachorra sim! Vaca talvez. Humano... Nunca!”

Abraço Da Realidade

Posted: 9 de dez de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Apagando as luzes de ideias sem adesão,
Flutuando onde jamais poderia sonhar.
Demudar o concreto em derretida ilusão,
Ansiando um amanhã sem se estranhar.

Inalando unicamente as boas vibrações,
Refrescando os pensamentos dourados.
Copulando com a terra em vivas conexões,
Despindo a mente de dogmas saturados.

Cortejando apenas incógnitos semelhantes,
Intoxicando-se com a febre da liberdade!
Fumando impulsos de prazer sem amantes,
Intoxicando-se com a febre da liberdade!
Consagrando todos os instantes!
Analisando o universo com a pureza da insanidade.

Todos Animais! Humanos, Irracionais! [All Aboard Mix] - Poetronic Music

Posted: 5 de dez de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0


Poesia originalmente publicada em 21/04/2009.

Tratando Um Medo

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Alba se automedicava com bastante frequência e competência. Às vezes temia ficar viciada. Contudo o maior medo de Alba, psiquiatra formada, não era somente ela mesma acreditar nos diagnósticos que dava. Pior ainda, seria ser diagnosticada por outro em condição semelhante.

Queremos Algo Novo

Posted: 4 de dez de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Não confiemos que algo advirá por si!
Improvisemos o agora para o porvir.
Ação direta contra a inoperância!
Não aceitemos só existir!

Triunfo Da Desgraça

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

A miséria ama a retaliação social,
Que abusa das orações ocas...
E ao redor da mente os asilos
Desmoronam-se por espelhos.

A miséria ama a compaixão vazia,
Que todos sempre compartilham.
E ao redor toda cólera é farsa,
Não há nenhum sentimento puro.

A miséria ama as futilidades
Do comportamento civilizado,
E ao redor dos corpos desabados,
Estão os canibais semelhantes.
Esperando o momento exato do triunfo da miséria!

Liberdade Volátil

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

É a hora de questionar o caminho
Quando o difícil se torna fácil
Mesmo que siga sozinho.

Alacridade

Posted: 30 de nov de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

"Sou dramática, intensa, transitória e tenho uma alegria em mim que quase me deixa exausta...." - 
Clarice Lispector

Trabalhar Paga

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Pague com sua vida qualquer vontade,
Conceda a escravidão por um trocado!
Pague com sua identidade comodidade,
Toda rendição para ser condicionado!

Pague com sua mente a criatividade,
Afinal toda expressão já foi proclamada.
Pague com o silêncio a excitabilidade,
Pouco prazer por tanta dor acumulada!

Pague com sono a irritabilidade!
Pague com trabalho sua humildade!
Pague com personalidade a honra da dignidade!
Pague com escravidão e lealdade!

Pague com prisão falsa segurança,
Almeje um padrão de prosperidade!
Pague com servidão a social cobrança,
Seja o exemplo do consumo e frivolidade!

Pague com sua liberdade!
Pague com sua sanidade!
Pague com sua liberdade!
Pague com sua sanidade!

Suburban Sky

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

“Naquele momento nós fomos livres... Alcançamos os desejos além do céu! Eu queria ter ido além...”

Concessão De Jugulo 2

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Quando se tem acepção da inocência,
Já se tem abandonado,
Alguma pura essência.

Quando se vive em busca de dinheiro,
Já se tem prendido,
Em esmerado cativeiro.

Quando se tem resposta à loucura,
Já se tem concedido,
A mente a tortura.

Quando se vive dependendo de destruição,
Já se tem conferido,
Alvedrio de retribuição.

Quando se tem acepção da prisão social,
Já se tem perdido,
A liberdade de ser real.

Dissolvido Muro

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Viver intensamente,
Sem exato futuro!
Carcaça e mente.

Sonhos Em Chamas - Poetronic Music

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0


Poesia originalmente publicada em 26/02/2009.

Preço Da Preguiça

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Marinete, acomodada jamais fez uma caminhada para talvez sentir sono. Nem tentou tomar nenhum chá ou calmante natural. Ao invés disso, pediu para seu médico lhe receitar um remédio pesado para dormir. Afinal ela adorava ficar na cama.
Certa noite acordou ainda atordoada para ir ao banheiro, só que não conseguiu chegar. Marinete está agora acamada constantemente com uma fratura de fêmur irrecuperável. Afinal ela adorava ficar na cama.

Extasiado

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

"Unindo moléculas de lembranças,
Tem-se novamente excitação...
Mesmo somente lembranças."

O Futuro É Agora

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Das faíscas cintilantes,
Que se camuflam entre
Pensamentos congelados,

Não há nada a recear.
O ímpeto é de vida,
Não de perecer.

Mesmo que chamem
Por anjos e demônios
Por uma salvação,

Nenhuma batalha
Será ponderada
Num nível mais relevante.

Avante! Ainda há tempo
De considerar
Um sentimento legítimo.

Nem todo o cuidado
Em viver
Fará você experimentar mais,

Só prolongará a estada
Entediante e fracassada...
Nessa dissolvida estrada.

Mais uma aurora,
Que seja mais uma tentativa
De fazer o melhor para ser real!
Ah o futuro... O futuro é agora!

Teia Das Lembranças

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Fiz meu lar entre as lembranças vívidas
De tua mórbida ausência!

Ditosa Languidez

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Crepúsculo diamante,
Derretendo em gotas,
Dulcificada nostalgia.

Trivial Hipocrisia

Posted: 29 de nov de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

A hipocrisia dos teus sentimentos,
Simplesmente me leva a loucura.
Fico no canto de ouvidos atentos,
Observando a decadência da cultura.

A hipocrisia em suas palavras ocas,
Simplesmente enche os ouvidos.
Fico lendo a verborreia dessas bocas,
Desejando mais gritos que sentidos.

A hipocrisia da cólera individualista,
Simplesmente me acalenta a mente.
Fico deitado esperando sua conquista,
Prevendo um ego bem mais coerente.

O reconhecimento dum conceito demente,
Faz todo o sentido social e fascista
Ser hipocrisia consequente.

Vingança Desnuda - Audiopoesia

Posted: 26 de nov de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0


Microconto originalmente publicado em 26/11/2009.

Custo Gratuito

Posted: 22 de nov de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
2

Desde que Ellie completara 21 anos costumava se intitular independente! Entretanto adorava ir à baladas onde mulheres não pagavam. Certa noite ela entendeu da pior maneira o custo de tal gratuidade.

Ponto De Diamante

Posted: 16 de nov de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

“Esperando o crepúsculo da não razão,
Em diamantes derretidos no céu de outono.”

Degeneradas Diretrizes

Posted: 15 de nov de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Quanto mais gozamos em consumo,
Extraem-se milenares raízes,
Ruímos rindo e sem rumo.

Exaurido

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

“E uma vez tendo caído no paraíso,
A exaustão de sentir paixão verve
Fez a loucura consumir até os desejos mais incessantes.”

Ingênuas Tolices

Posted: 6 de nov de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Fui tolo ao pensar
Que livres todos queriam ser,
Fui ingênuo ao tentar
Mostrar a liberdade a alguém.
Todos só querem sobreviver
Em suas confortáveis celas,
Sem precisar ver as atrocidades
Que escorrem cidade além.

Fui tolo ao cobiçar
Um mundo dito melhor,
Fui ingênuo em considerar
Que eu sabia algo além.
Todos só estão preocupados
Em não saber nada grave,
Afinal, qual a utilidade,
Da informação se escolhe nada saber.

Mas não é tarde para reconhecer...
Não, nunca é tarde para reconhecer
Tolices e amadurecer!

V - Audiopoesia

Posted: 5 de nov de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
1


"Remember, remember, the 5th of November..."
Música dedicada ao 5 de novembro, que não deve ser esquecido.
Inspirada em V, da HQ V For Vendetta.

Teoria Das Emoções

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Há vários dias Amim se mantinha preso naquele escuro quarto úmido com cheiro de mofo. Porém, após ler enorme livro de um famoso desconhecido anarquista, estava tão certo de que era inteiramente livre e libertário. Que decidiu naquela mesma ocasião que passaria ainda mais tempo no cômodo registrando também sua nota teórica sobre como era ser teoricamente livre libertário.

Ansiando Liberdade

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Ainda que sozinho em outros planos insólitos,
O plano fundamental é a libertação.

Rebeldes Intuitos

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Quando autoquestionamento
           Incinerar definidos circuitos,
                        Será livre conhecimento!

Lembrai! Lembrai! Da Traição

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Lembrai o quanto prometemos sonhos e terras,
Mas nada foi fertilizado nos campos da imaginação.
Lembrai que queríamos o mundo sem guerras,
Mas fomos nós que não fizemos nada de direta ação.

Lembrai o quanto esperamos ter esperança,
Mas confiamos demais em nossa inconsequência.
Lembrai o quão recusávamos tal vil herança,
Mas nós voltamos derrotados e sem experiência!

Lembrai o quão julgávamos ter A consciência,
Mas fomos nós arquitetos de nosso crime e nossa vingança.

Desarraigada Inspiração

Posted: 31 de out de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

As raízes se soltaram para não mais habituar-se a servidão de um exclusivo espaço.

CaTVeiro

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Zuleide estava tão habituada a confiar em tudo o que via na TV que assistindo novelas, aos 80 anos ainda esperava seu final feliz. Com um casamento talvez.

Go! Go! Queer!

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

"A violência do oprimido é auto-defesa." - 
Mademoiselle part. Vidal Liberdade e Revolução - Auto Defesa
desenho também inspirado na música: Anarkofunk - Racha Macho - Conversa Ao Pé Do Ouvido

Com Tradição Em Contradição

Posted: 29 de out de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

A gravidade a mais fiel inimiga!
Perante o sonho de libertação.
Revogando a constante briga,
Entre realidade e imaginação.

A hostilidade parece natural,
Perante convivência tão apática.
Sem olhar ou sorriso fraternal,
Repetindo violenta prática.

O vento sopra trazendo fuligem
Solidão mesmo em meio multidão.
Grotesca adaptação à vertigem,
De ser a raiz de mútua destruição.
Fim e origem da humana conTradição!
Humana conTradição!

A vontade de mudança é falsa,
Perante o comodismo capital.
Seguindo acostumados a desgraça,
Todos por bem praticam tanto mal.

Receita De Seitan (Bife de Glúten)

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
2

No refeitório Renan constantemente fazia brincadeiras estúpidas com um vegetariano colega de trabalho. Muitas vezes punha vários pedaços de carne suculenta e ficava erguendo e exibindo contra ele. Porém um dia, quando ele fazia tal brincadeira, o vegetariano abriu um grande sorriso na outra mesa e também ergueu grande pedaço do mesmo bife que ele estava comendo. Renan chocou-se e ficou com cara de bobo quando reparou a placa que dizia que aquilo era seitan.

***
Há duas formas de se produzir seitan caseiro. A primeira é separando o glúten da farinha de trigo, opção que eu recomendo só em caso de não encontrar a farinha de glúten pura, pois desperdiça muito trigo, água e tempo. A outra forma é essa abaixo. Simples, prática e ao fim sai bem mais em conta. Encontrei em loja de produtos naturais.
Ingredientes
500g de farinha de glúten;
500ml de água (para a massa);
1 xícara de chá de shoyu;
1 xícara de chá de molho de tomate;
1 cebola média;
3 dentes de alho;
Especiarias a gosto.

          Modo de preparo
    Misture a farinha de glúten com temperos secos de sua preferência, como por exemplo, orégano, pimenta do reino, açafrão, louro, etc. Vá adicionando a água e misturando até formar uma massa homogência parecida com a massa de pão. Enrole em formato de cobra e corte em fatias.
         Corte a cebola e o alho, ponha no fundo de uma panela de pressão grande. Ponha a massa fatiada, o shoyu, o molho de tomate e adicione água até cobrir completamente a massa. A cozedura do seitan neste caldo irá produzir um enriquecimento em sais minerais e aminoácidos (em especial a lisina).
Deixe cozinhar por 40 minutos após pegar a pressão. E pronto! É só tirar de dentro do molho, e você terá muitos bifes prontos para serem fritos, cozidos, grelhados, empanados ou para churrasco. Chame os amigos, pois essa medida rende bastante!


        O Seitan
     O seitan é conhecido pelo nome de “carne vegetal” por ter um aspecto semelhante à carne e porque é feito a partir de um cereal, o trigo. O seitan é um produto feito a partir de trigo, concentrando toda a parte proteica do cereal, o glúten.

O seitan é rico em proteínas e pobre em gorduras. Cerca de 180 g de seitan são suficientes para satisfazer as necessidades proteicas diárias.














Verve Apocalipse

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Após extasiante aurora boreal,
O Sol se extinguiu em eclipse...
Restando apenas frio glacial.

Deuses De Areia - Poetronic Music

Posted: 27 de out de 2012 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0


Poesia originalmente publicada em 24/05/2009.

Admirável Mundo Oco

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Um mundo lá fora além das redes sociais,
Mais sol do que nas fotos do photoshop.
Um planeta lá fora além de muros digitais,
Mais amor que brinquedos de sex-shop.

Tudo muito e tão pouco...
Em razão do que é louco...
Admirável mundo oco...
Admirável mundo oco...
Admirável mundo oco...
Admirável mundo oco...

Um mundo lá fora além da inútil novela,
Mais verdades e mentiras sentimentais.
Um mundo lá fora além da sua teletela,
Mais câmeras nas ruas menos mortais.

Um mundo lá fora além da sua cela vital,
Mais grades para comprar com escravidão.
Um mundo lá fora além da masmorra virtual,
Mais insegurança, mais vida, mais servidão.
Um mundo lá fora de imensidão
Fatalmente real.
Um mundo lá fora de imensidão
Fatalmente real.