Nunca Será Suficiente

Posted: 19 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , , , , , ,
0

Pensamos e relatamos tantos desejos libertários,
Que ao fim do dia, reparamos o quando não realizamos.
Adormecemos em nossos calabouços solitários,
Pois nem toda atividade é suficiente quanto precisamos.

Procuramos em muitos espaços, um lugar para ser livre,
Mesmo reconhecendo que as grades são mais pessoais.
Sempre esperando que o resto do mundo nos prive,
Não é suficiente o mundo inteiro, queremos sempre mais!

Tentamos procurar uma razão em meio à realidade,
Mesmo tendo certeza que a natureza é caos essencial.
Usamos máscaras sobre máscaras sob nossa insanidade,
Mas nem toda racionalidade foi suficientemente ou racional.

Agimos seguindo o impulso de nossos corpos insólitos,
Desrespeitamos outros corpos e outras mentes ao redor.
Tentamos remediar a doença infectando mais acólitos,
E nunca é suficiente reintegrar o que decompomos em pó.

Escravizamo-nos por própria alternativa de comodismo,
Seguindo o vasto caminho da sociedade alienada consumista.
Subornamo-nos com falsos presentes de doce pessimismo,
Mas nenhum trabalho é suficiente para realizar a livre conquista.

Agimos seguindo lindas livres ideias, ideais e perspectivas,
E invariavelmente somos cotejados a alienadores fanáticos.
Mesmo reforçando nossa crença em mais liberdades ativas,
Nunca é suficiente mostrar razão terrena a seres lunáticos!

Ajustamos a meta de cometer cada anseio de prazer,
Jamais jugulando outro ser a nossa vontade hedonista.
E mesmo que venham os insultos, o melhor a fazer,
É nunca pensar ser suficiente a próxima última conquista.

Agimos tentando libertar e causar menos danos ao planeta,
Mas sempre decodificam invejosamente a ambição libertária.
Reconhecem, cometem crimes e querem que ainda se cometa!
Não é suficiente mudar a comida e vestir uma camisa identitária.

Mesmo em liberdade solitária, temos nos unido em resistência,
Com o único objetivo: de sermos mais livres e mais ativos.
Por mais que achemos nossas práticas inofensivas e sem consistência,
São essas pequenas celeridades que nos torna vivos!
Cativos à ideia de libertária insuficiência!

Buscamos uma evolução, mas sempre desejando a infância,
Negando-nos a reconhecer a real pureza de nossos entes.
Mas a inocência sempre nos cativa e remete a ignorância,
Ter muita idade não é suficiente para sermos mais coerentes.

Tantas vidas passam por nossas vidas sem tocarmos,
Que ao fim de nossa vida não sabemos quem nos tocou.
Criamos crisálidas para impedir de nos machucarmos,
Mas não foi suficiente nosso ar para estar vivo quando você se sufocou.

Mesmo em liberdade solitária, temos nos unido em resistência,
Com o único objetivo: de sermos mais livres e mais ativos.
Por mais que achemos nossas práticas inofensivas e sem consistência,
São essas pequenas celeridades que nos torna vivos!
Cativos à ideia de libertária insuficiência!

Sendo Coletivo Hipotético - Poetronic Music

Posted: 18 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Dedicada a todas as pessoas com quem Conluiei! Prazer!

Ativa Adaptação

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Saber que um tipo de doença rara estava esgotando sua visão gradual e irreversivelmente não fez com que Devon desistisse de fazer seus zines nem de praticar suas atividades. Não fez usar de desculpas como inércia vital. Não fez com que se vestisse em comodismo. Não fez com que Devon se calasse perante o que sabia e sentia de errado acerca do mundo! Pelo contrário! Agora fazia em pelo menos mais dois outros formatos: Em áudio e em braile.

0

Aanisan sempre pensou que exercitar seu veganismo ou vegetarianismo era tão somente substituir a carne por soja. E assim sempre preparava seus pratos medíocres a base de proteína texturizada de soja que ficavam com sabor de textos apócrifos de revista de fofoca sobre quase famosos oriundos de reality shows.
Mesmo com essa ideia minúscula e alienada ainda se achava a pessoa mais ativista vegetariana que conhecia. Até que participou de uma festa vegastronomica, onde viu que mesmo as coisas de soja poderiam ser mais criAtivas do que imaginava. Onde viu também que ser vegan está além da mediocridade de seu prato!

***

           Como hidratar a Proteína Texturizada de Soja (PTS)
Um dos primeiros ingredientes quando se pensa em vegetarianismo é a soja. Creio que pensam que vegetarianos tem uma louca compulsão por soja, ou que querem tornar tudo parecido à carne! Ledo engano. Soja é uma ótima fonte de proteína vegetal.
Um dos principais passos (que exige um tempinho) para uma boa receita que utilize PTS é a hidratação! Assim não terá um prato com o desagradável sabor rançoso do qual muita gente reclama.
Em uma panela ponha 200g de PTS, adicione 2 colheres de chá de sal e 500ml de água. Deixe descansar por 20 minutos. Leve ao fogo até levantar fervura, desligue, adicione mais água fria até que a proteína fique submersa. Deixe descansar por mais 30 minutos. Escorra em uma peneira ou escorredor e retire o excesso espremendo com as mãos. Está devidamente hidratada sua PTS!

Ingredientes do Bolinho Frito:
- 200g de PTS (previamente hidratada);
- 1 cebola grande (picada bem pequena);
- 3 dentes de alho (amassados ou em pasta);
- 1 colher de sopa de sal;
- 1 colher de sopa de preparado de alho e sal;
- 3 colheres de azeite;
- ½ xícara de aveia em flocos;
- 3 xícaras de chá de trigo (pode ser com fermento);
- ½ xícara de fubá (do tipo mais fino que encontrar);
- Temperos completos à gosto;
- Pimenta do reino a gosto;
- 300 ml de óleo de soja;
- 2 dentes de alho (Com casca).

Modo de preparo:
 - Misture a proteína texturizada de soja hidratada e espremida, a aveia, a cebola, o alho, o sal, os temperos, o azeite num recipiente.
- Vá adicionando 2 xícaras do trigo e misturando com as mãos. Até que fique numa textura homogênea e que não grude mais nas mãos. Faça o teste tentando enrolar uma bolinha. Se precisar, adicione mais trigo.
- Deixe descansar por 30 minutos.
- Em um recipiente largo (pode ser uma forma rasa e larga de bolo) ponha a xícara restante de trigo com o fubá. Ponha uma pitada de sal e pimenta do reino a gosto. Esse preparo servirá para empanar os bolinhos.
- Passados 30 minutos, é hora de enrolar os bolinhos. O segredo é fazer nem grande nem pequeno. Pois se ficar grande demais, há de ficar cru por dentro. Uma dica para ele não se soltar é amassar com força para que ele se una bem, só então depois passar a modelar enrolando.
- Vá enrolando e reservando no recipiente para empanar. Reserve.
- Leve ao fogo os 300ml de soja com os dois dentes de alho com casca (o alho impede que o óleo queime!);
- Agora é só fritar submerso em óleo. Assim, fritará por igual.

E está pronto o bolinho crocante para todas as horas! Pode ser guardado cru em geladeira coberto com papel filme por até uma semana. Dependendo do formato, pode vir a ser hambúrguer, croquete, e etc. (Pode ser adicionado outros ingredientes à massa, como azeitonas picadas, cheiro verde, manjericão).


Bazilla (Pasta de Ervilhas)
Inspirado no Homus, eu quis fazer uma receita simples no mesmo estilo. Do mesmo modo que em árabe, ‘homus’ significa simplesmente ‘grão-de-bico’, ‘bazilla’ significa ‘ervilha’. E quem se importa se essa receita pode já ter outro nome? Eu é que fiz essa!

Ingredientes da Bazilla:
- 200g de ervilhas verdes partidas;
- 1 cebola grande (picada grosseiramente);
- 5 dentes grandes de alho (picados grosseiramente);
- ½ xícara de chá de azeite;
- Tempero completo a gosto;
- Sal a gosto;
- Pimenta do reino a gosto;
- Suco de ½ limão.

Modo de Preparo:
- Deixe a ervilha de molho de um dia para o outro,
- Cozinhe a ervilha em bastante água até que ela fique macia e se desmanchando;
- Refogue o alho e a cebola em azeite e jogue na ervilha com o sal e temperos;
- Deixe terminar de cozinhar até que não reste mais água, mas que ainda fique úmida;
- Deixe esfriar, bata num liquidificador com azeite, o suco de limão e um copo (americano) de água natural. Até ficar com consistência entre patê e purê!

- Servir frio. Pode ser usado como pasta em pães, torradas, bolachas e nessa ocasião, como molho para o nosso aperitivo, o bolinho de PTS.

***

Soja
Alimentos à base de soja estão em todo lugar - leite de soja, iogurte de soja, carne de soja, entre outros. A soja é bem popular porque se acredita que ela seja um alimento que combate e previne diversas doenças. Alguns estudos destaca a soja como um alimento eficiente para prevenir doenças do coração, ajuda na cura do câncer, alívio dos sintomas da menopausa e prevenção de osteoporose.

Além de ser rica em proteínas e fibras, o óleo de soja é do tipo "bom", rico em ômega-3. A soja também é o único legume considerado uma proteína completa. A proteína completa é aquela que contém todos os 9 aminoácidos essenciais que uma pessoa deve consumir. Legumes geralmente são incompletos, necessitando de uma combinação com grãos para que forneça todos os aminoácidos necessários. Por esse motivo, a soja é muito utilizada na dieta vegetariana, como por exemplo, o tofu.


Ervilha
A ervilha oferece muitos benefícios à saúde, variando conforme a espécie do grão. De uma forma geral, podemos afirmar que os grãos possuem sais minerais, como cálcio, fósforo, ferro, enxofre, potássio e cobre, elementos que são constituintes estruturais dos tecidos corpóreos e reguladores orgânicos que controlam os impulsos nervosos. A leguminosa também possui vitaminas A, importante para a visão e para a formação de ossos; vitaminas do complexo B, que desempenham um papel importante no metabolismo energético; e vitamina C, importante nos processos de cicatrização. Rica em vitaminas K1, C, B1, A e B6.

Vitalidade Viral

Posted: 16 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

A sua estagnação,
                       Perante o tronco
                                  Da árvore da vida,
               Faz sua semelhança fungicida,
                                                Mais do que suicida.
                       E quando as luzes apagam,
                                                    Você se apaga por indolência,
                                       Nunca sustentou
                                                   A própria carcaça,
                                                                Por incompetência...
                                         E quer que outro o faça!

Aptidão para inoperância
                            Revolta até o matusalém,
                                                Mais antigo! Mais amigo...
                                                                       Similaridade com um vírus
                                               É repulsiva e sem essência!
                                                          Sempre a procura dum corpo,
                                                                    Uma mente, um abrigo.
                       Não merece estar vivo comigo
                      Quem prefere a estagnação
                                                    E assim como um vírus,
                                          Sem corpo alheio, nada será então.

Solitário Zangão

Posted: 14 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Não fazer parte de uma coletividade muitas vezes pode ser solitário.
Entretanto experimentam-se mais flores e perfumes dessa atividade!

Prática Peculiaridade

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Ser ativo é mais do que estar vivo!
             É permanecer cativo à liberdade...
                             E ter vitalidade é ser impulsivo!

Amistosa Sobriedade - Poetronic Music

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0


Às amizades que hão de morrer Por Uma Liberdade Mais Viva!

Sonâmbulo Consciente

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Você tem se desculpado demasiadamente
Por não ter feito absolutamente nada...
Nenhuma atividade malévola foi consequente.
Nenhuma vontade foi mesmo realizada.

Somente a culpa pelo maior pecado
Contra o ego ressecado... Inatividade.
Sem abrigo, sem rumo consagrado,
Sem destino além da fatal ordinariedade.
Em sono ressacado... Inatividade!

Você tem aprendido coisas em demasia
Além do que ensinam as instituições,
Mas nada fez você mostrar alguma empatia,
E que não concorda com tais prisões.

Por ter já os travesseiros, TV e banheira,
Você tem aceitado tais cárceres ao ego!
Em consumismo, comodismo, apatia rotineira.
Tornou-se surdo, mudo, paralítico e cego...
Você admitiu só sobreviver como sua atividade derradeira!

Graforréia Especial + Zines para Download

Posted: 13 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Fazer zines sempre me pareceu uma prática ativa e simples de transmitir pensamentos, ideias e registros. Porém com o passar dos anos, algumas coisas mudaram. Os zines deixaram de ser todos em papel preto (eram lindos) devido a depressão econômica dos tonners, assim as copiadoras se recusavam a fazer xerox decentes. E uma coisa que é certa, é que o zine, por mais que seja alternativo e/ou underground, tem que ser esteticamente bonito. Pelo menos pra mim. Inclusive esse zine ao lado ganhou uma versão especial com capa em transparência. Que ficou lindo e promete maior durabilidade do material, pois serve de proteção.
Outra coisa que variou é que hoje em dia, com a facilidade de divulgação via internet, os zines também podem (e devem) ter uma versão digital. E foi assim que passei a produzir duplamente, com um trabalho só.
Aqui estão algumas dessas produções realizadas nesse 2011. Dentre elas um zine especial. Uma coletânea poética com poesias, textos, microcontos e rabiscos diversos publicados em 2009. Pronto para imprimir, dobrar ao meio verticalmente e divulgar. Ou somente baixar e compartilhar!

Graforréia Especial (DOWNLOAD)

Fazer zine é tudo de bom! Faça Você Mesmo o seu e compartilhe suas ideias e conceitos. Para baixar as edições abaixo é só clicar nas imagens. Enjoy!



Atemporais Perspectivas

Posted: 12 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Não mais há tempo para lamentar a inoperância alheia,
Nem de procurar aleatoriedade nas ações mais ativas.
Não mais há tolerância a participar de uma facínora ceia,
Nem de tentar libertar mentes com feições auto cativas!

Não mais há tempo para sonhar com revolução ilusória,
Nem de procurar companhia para enfrentar tal batalha.
Não mais há tempo de explicar cada atuação compulsória,
Nem de dar a face para ser cortada com oxidada navalha.

Não mais há tempo para esconder-se em máscaras de papel,
Nem de rasgar a própria pele para negar quem é realmente.
Não mais há tempo para crer em pecado, inferno, divino céu,
Nem de sentir pelos outros, já que à própria sombra é temente!
Quem mente seu eu está jogando seu tempo ao léu...
Mas... Além de tudo, está voltando a ser réu inocente!

A Facilidade Da Inoperância - Poetronic Music

Posted: 11 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Estágio Inevitável

Posted: 10 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Quando Atila decidiu que em sua vida não existiria o suposto terceiro estágio, o da reprodução. Estava suscetível a não deixar sua semente na terra. Entretanto, além de escrever vários livros acerca de liberdade e contra reprodução humana, plantou centenas de árvores para compensar tal estadia.

Who Am I? - MentalVice Edit

Posted: 9 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0


Essas Emuladas Cousas

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Lagartas ínvidas sonham ascender,
            Dia algum ao estado de mariposas.
                          Mas em crisálidas jazem a padecer.

Viva A Resistência!

Posted: 8 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Resistindo até o raiar da minha aurora!

Amanhã Quem Sabe

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Quando todos buscarem prazer pela dor em outro couro,
Eu estarei lá para mostrar que a dor pode ser empírica!
Quando todos cegarem ofuscados pelas grades de ouro,
Eu estarei lá para mostrar o que é ou não prisão onírica.

Uma arma dentro de si...
Ainda que destrinchando com facas de titânio,
Não encontrarão! Não te desarmarão!
Quando estiver frente a frente,
Com a ameaça de ser completamente livre,
É só usar sua arma!

Quando a comodidade açoitou a porta, você quis acolher!
Quando brados de dor foram emitidos, você ensurdeceu.
Quando a guerra estourou, você escolheu se esconder...
Quando o gatilho foi puxado, com corpo alheio se protegeu.

Uma ideia além de si...
Mesmo que semelhe díspar do resto do mundo.
Não é seu mundo se não for seu ideal!
Quando estiver frente a frente,
À perdição de ser para sempre prisioneiro,
É a ideia que te libertará!

Quando todos correrem em busca de migalhas de deleite,
Eu estarei lá para despontar o que é viver em hedonismo.
Quando as algemas jazerem postas como um enfeite,
Eu estarei lá para dar-te a chave... E caso você aceite,
Só você poderá se libertar da coerção do comodismo!

Ensejo Constante - Poetronic Music

Posted: 6 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Dedicada a todos que sentem o mesmo desejo.

E Eles Dirão Quem Tu És...

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Rita não era bem comunista, e mesmo depois da ditadura estourar ela vez ou outra se encontrava com os amigos. Que agora seguiam como ditos subversivos. Mas Rita só queria compartilhar das festas. Afinal ela nunca foi de ostentar uma postura definitiva. Tentava sempre andar na corda, em cima do muro. Estava acostumada a seguir o que especificavam como regras sociais.
Mas para enfatizar, Rita adorava as festas e o sexo comunista. Nunca participou de nada além disso. Por tal, nada sabia acerca da estrutura dentro do partido. Pena que os torturadores não acreditaram bem nela. Afinal a mesma fora pega por eles saindo da sede do partido!

Conluio Ativo - Instrumental

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0


Aos conluiados ao redor do mundo. Que mesmo distantes continuam vivos e ativos!

Um Dia A Mais...

Posted: 5 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Um dia a mais, antes que a atividade autônoma paralise,
Nenhum sorriso sórdido há de salvar uma vida da prisão!
Por menor que tenha ficado na memória haverá quem reprise,
E enquanto acreditar que a liberdade está lá fora viverá a ilusão.

Um dia a mais para concluir uma ação direta e eficaz!
Nem toda sobriedade há de salvar alguém da culpabilidade.
Por menor que seja a droga, ainda respiramos o mesmo gás,
Não venha falar que tanto faz quando falamos de liberdade!

Um dia a mais para sentir que toda vida não teve sentido,
Nenhum caminho vale quando se aprisiona quem fica para trás
Por menor que seja o sentimento de culpa, isso será repetido,
E a liberdade que pensava ter conquistado não mais te satisfaz.

Um dia a menos um dia a mais
Um dia a mais de guerra para ter paz!

Atividade Perene

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Mesmo distante, mesmo visto ao longe, mesmo não sentido em tuas mãos. Atividade é meu fluxo natural.

Contensões Da Realidade

Posted: 2 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Minhas ações ativas são as mais vivas reações,
       De paixão em nome da essência do que é a liberdade.
               Sua ação é trancar-se em prisões de conformidade.

Lembrando A Carta Do Esquecimento

Posted: 25 de nov de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , , , ,
0

Não quero lembrar que nunca poderei esquecer,
A paixão que incendiou todo conceito de amor.
Não venha assombrar com o que poderia acontecer,
É vão imaginar que poderia ter sido menor minha dor.

Não quero ver em outros, algo a comparação,
É insano viver vislumbrando vidas vendo você.
Não quero ter sopros que congelem mais o coração,
Vai-se mais um ano cobrando compaixão de psique.

Não quis queimar meu ego com tua decadência,
Por medo de incinerar o que eu sentia realmente.
Não quis fumar em lata as cinzas de tua demência,
Não mais há quem esperar sóbrio, são e inocente.

Não quero esquecer que hoje e sempre te lembro,
De tão forte, o ego indefectível estilhaçou-se em mil.
Mais abstruso ser quando chega amargo novembro,
Sem consorte compatível, padeço com alvitre senil.
Ainda lembro cada parte, cada membro.
E até a morte hei de lembrar que fui eu quem desistiu.


Hedonismo, A Cura - Poetronic Music

Posted: 23 de nov de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0


Dedicada ao amor que me mostrou como sentir bem num mundo tão mal.

Amarga Praticidade Da Apatia

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Victor sempre se compreendeu objetivo com seus sentimentos e os sentimentos que compartilhava com as pessoas. Se algo cometido por outrem lhe magoava profundamente, ele ia lá e matava... O sentimento pela pessoa. E foi se tornando uma pessoa solitária por abdicar dos sentimentos dos outros e de tentar remendar os seus. Nunca aguentou ferimentos profundos nos sentimentos. Mas sabia como sanar... Simplesmente amputando as emoções!
Quando chegou a determinado ponto da vida, Victor havia matado todos os que antes conviviam ao seu redor. Estava definitivamente sozinho rodeado de pessoas que ele não se importava. Então, nada mais lhe restava senão procurar novas vidas e novos ares que talvez não precisasse assassinar.

Receita de Tortilla + Chilli - Viva La Vida!

Posted: 22 de nov de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , , ,
0

Tortilla (ou em português Tortilha) é um importante exemplar da cozinha mexicana e da América Central.
A tortilla é um gênero de pão ázimo, confeccionado a partir de farinha de milho e/ou de trigo. Geralmente usada como entrada ou base para outros pratos, como: burritos, tacos, fajitas e tostadas. 

Ingredientes:
- 1 ½ xícara (chá) de farinha de trigo
- 1 ½ xícara (chá) de fubá mimoso (se conseguir o
mexicano é melhor - ele é branco );
- 3/4 colher (chá) de sal;
- 3 colheres (sopa) de gordura vegetal;
- 3/4 xícara (chá) água morna.


Modo de Preparo
-Misture os 3 primeiros ingredientes. Junte a gordura vegetal e misture com os dedos, formando uma farofinha. Acrescente a água aos poucos mexendo com a mão, até formar uma bola. Se necessário, use pouquinho mais de água;
-Trabalhe a massa por cerca de 5 minutos, amassando até que fique bem homogênea e não grude mais nas mãos. Deixe descansar de 30 a 45 minutos.
-Divida a massa em 15 bolas e vá abrindo uma por uma, deixando as outras cobertas com o plástico (sempre). Se for fazer tortillas grandes, abra o disco com 18 cm, se for pra canapés mexicanos, corte com a xícara de café (lembre-se, a massa deve ficar fina);
-Frite as tortillas em frigideira quente: unte a frigideira com algumas gotas de azeite e toste levemente de um lado, vire a tortilla e pressione delicadamente até formarem as bolhas. Vire e aguarde mais 1 minuto. Vire novamente e deixe-a tostar levemente em alguns pontos.

Observações:
- Enquanto a massa está quente, você pode dar o formato que quiser, depois de fria não.
- Essa receita é adaptada, pois temos dificuldade em conseguir a milharina mexicana, que é o ingrediente que quase nunca se encontra no Brasil. Porém fica perfeita com fubá do tipo mimoso.

Para recheio: Pode-se usar qualquer coisa de sua preferência, desde cremes doces, até geleias e pastas como Guacamole, que já postei a receita. Outra receita para recheio muito fácil é:

Chilli De Soja

Ingredientes:
1 colher de sopa de azeite;
1 cebola ralada ou bem picada;
4 dentes de alho amassados;
1 colher de chá de orégano;
1 folha de louro;
200 g de proteína de soja texturizada previamente hidratada e escorrida;
2 xícaras de chá de purê de tomate;
1 colher de café de cominho;
1 folha de couve cortada em tirinhas;
2 xícaras de chá de feijão cozido (escorrer o caldo);
1 colher de sopa de salsa picada;
Molho de pimenta a gosto.

Modo de Preparo
- Aqueça o azeite em uma panela e refogue a cebola, o alho, o orégano, o louro e a soja texturizada;
- Junte o purê de tomate, o cominho e deixe ferver até engrossar um pouco;
- Acrescente o feijão, a couve e a salsa picada;
- Deixe ferver por mais 10 minutos;
- Adicione o molho de pimenta e desligue o fogo;
- Passe para um refratário.

Receitas adaptadas do Cybercook e Wikipédia.

*** 

Margô tinha uma afinidade com tudo que apresentava relação com a morte. Sua paixão por tradições que envolviam o tema só aumentava a cada dia que sua vida passava. Viajou o mundo admirando as interpretações mortuárias de várias culturas.
Até que se deparou com os 'Dia de Los Muertos', comemoração de antigos Meso-americanos que tinham como costume conservar os crânios humanos como troféus e mostrá-los em seus rituais. Eles acreditavam que os caminhos destinados às almas dos mortos eram definidos pelo tipo de morte que tiveram, e não pelo seu comportamento em vida, o que lhes fez ver o mundo de outra forma.
Quando Margô se deparou com essa possível realidade, decidiu que estaria preparada para que sua morte fosse em felicidade. Contudo fazendo da vida algo extraordinário a se consagrar.
Passou a viver de forma intensa, leve e feliz. Adorava os prazeres do paladar. Amava estar rodeada de amigos em festas gastronômicas vegans. E fez isso por muitos anos.
Foi justamente numa festa mexicana regada a muita tequila, tortillas, guacamole e burritos com pimenta que Margô faleceu rodeada de seus melhores amigos aos 105 anos.


Receita, degustação e conto em agradável colaboração de @Josi_Calixto.