Olhos Secos

Posted: 30 de jun de 2009 by Lux Alt in
1


Ele sempre reclamava que não tinha tempo de fazer nada. Até que sua televisão queimou. E depois de muito tempo pode conhecer outros cantos da casa que não a sala. Pela primeira vez estava vendo o mundo com seus próprios olhos.

Sem Dúvidas

Posted: 29 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Aquele padre inflama em seus sermões que é mesmo homofóbico. Pois certa noite acordou com medo incontrolável depois de um sonho erótico com seu coroinha. Com medo maior ficou depois de que se tornou real.

Vitaminas

Posted: 28 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Seu Gaudêncio constantemente reclamava que estava muito doente, porque não tinha vontade de comer. O que o deixava muito fraquinho. O medico receitou-lhe umas vitaminas. O que findou fortalecendo um maligno câncer no esôfago.

Vírus De Programa

Posted: 27 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Phil sabia que depois daquele vírus só havia um caminho: chamar Max, o técnico, pra uma formatação. E mesmo perdendo tudo de tão “importante” não achou tão ruim pagar e continuar com aquela gripe.

Consumo Mortal

Posted: 26 de jun de 2009 by Lux Alt in
0

Rose passou sua jovem vida comprando, comprando, comprando e consumindo muita coisa que não precisava realmente. Como carne, peles, leite, ovos etc. Até que teve um enfarto fulminante. E não teve tempo de comprar seu caixão.

Divididas Intimidades

Posted: 25 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Sabiam que depois que passassem a morar juntos, tudo seria repartido. Desde as responsabilidades até os deveres. E dividir a mesma escova de dentes não seria um caso tão grave quando se está tão intimo. Porém dividir as mesmas calçinhas era demais!

Cueca Branca

Posted: 24 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Por algum motivo desconhecido ele sempre achou que cuecas brancas deixavam os caras com aparência sensualmente imbecil. Até que teve que usar uma no dia de sua lua-de-mel. E teve uma certeza.

O Pecado Mora Além Do Espelho

Posted: 23 de jun de 2009 by Lux Alt in
0

Ela religiosa diariamente se masturbava, levando todos e todas que conhecia para sua imaginação. Chegou o dia que o fez fronte ao espelho. E não mais precisou poluir tanto a mente com tal pecado...

Luta Antimanicomial

Posted: 22 de jun de 2009 by Lux Alt in
0

De tanto se auto denunciar antimanicomial, terminou por parar em um hospício. Pelo menos lá não precisaria mais mencionar que era contra alguma coisa. Seus amigos logo chegariam... Chegariam?!

Anestésico Libertário

Posted: 21 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Ele constantemente tentava mostrar aos outros o quanto estavam presos ao consumismo, comodismo, estética, sexismo e a alienação. E por muito tempo esquecia-se de suas próprias grades.

A Coincidência Alcoólica

Posted: 20 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Ele tinha mania de por a culpa de todos os seus atos considerados errôneos no álcool. Mas por incoerente coincidência quando estava mais sóbrio é que tinha mais raiva do mundo qual habitava. E foi exatamente num desses momentos de sobriedade que ele resolveu findar toda a culpa.

O Pecado Mora Ao Lado...

Posted: 19 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Assim que ele saiu do cinema após assistir A Dúvida, quis praticar algum ato de obscena liberdade. Chamou a primeira garota de programa e transaram num matagal ali perto. Não havia mais dúvida que ele não era mesmo pecador.

Da Biografia

Posted: 15 de jun de 2009 by Lux Alt in
0

Foi como um choque letal perceber que nem todo o conhecimento do mundo seria suficiente pra ser completo. Por um momento a vida passou rasante em todo o sentido de vida. Assim como o que lhe foi dito o que era certo por provir de escritos tão antigos. Depois do choque, não havia mais sentido em sentir culpa por ser simplesmente real. Só calar o desnecessário e olhar tudo como amoral.

A Distância Solar

Posted: 14 de jun de 2009 by Lux Alt in
0

Um dia ele prometeu a seu companheiro que daria a lua, para que ambos fossem astros. Depois se descobriu que não era nada do que pensavam. E mesmo sendo um espelho, ainda era uma bela jóia para presentear. Um dia o sol caiu em trevas e as estrelas travestiram o que desejava ser lua. Agora estão mais distantes do que nunca e não só por força gravitacional...

Uma Decisão Floral

Posted: 13 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Chegou um dia em que ela percebeu que ser humana era a coisa mais estranha e insólita de ser na terra. Dentre tantas espécies porque achara de nascer logo algo tão frágil e inoperante como o humano? A espécie que tem que criar meios de defesa artificiais e que depende tanto de outras espécies pra ser simplesmente explorador. Chegou o dia que ela não mais quis ser humana, e decidiu ser flor.

Para Casa Esquecida

Posted: 12 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


A pós-adolescência daquele rapaz foi deveras difícil. Afinal não é muito comum se odiar toda sua própria espécie. Nunca se encaixou em nenhuma tribo, assim sempre teve dificuldades de relacionamento de qualquer tipo, pois na verdade sentia repugnância pelo próximo. O que mais fazer senão trancar-se em uma casa esquecida no meio do nada. E nada fez pelo resto da vida. Sozinho.

O Quarto Mofado

Posted: 11 de jun de 2009 by Lux Alt in
0

Eles permaneciam em um quarto, que inicialmente teve um cheiro estranho de mofo. Até um acidente denunciar seus reais pensamentos. Tudo poderia ruir naquele instante que perceberam que nada daquele quarto significava realmente. A não ser suas línguas e palavras. Mesmo tão diferentes. O quarto agora cheira a gozo.

Doces Descobertas

Posted: 10 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Um dia, que na verdade era noite, Max conheceu Kelly. Uma pessoa belíssima! De estatura bem alta para uma mulher. Na semana seguinte encontraram-se novamente. Estavam apaixonados! E desta vez terminaram indo para um motel. Debaixo dos lençóis Max descobriu que na verdade Kelly era Kleber. Por algum mínimo tempo Max pensou. Nas possibilidades que agora tinham. E assim foram felizes.

Autofelação

Posted: 9 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Nunca, nunca seja completo!
Se complete você mesmo!
Pleonasmo ereto!

Enchente Sonial

Posted: 8 de jun de 2009 by Lux Alt in
0

Ela sonhava constantemente. E tudo o que lhe vinha à mente era escrito em seu diário de capa plastificada. Uma vez, num dia chuvoso, rasgou tudo e jogou na privada, dando descarga nos seus surrealismos. E tudo o que foi sonhado durante um ano foi pelo ralo. Afinal, nada do que sonhara era ela realmente... E o pesadelo da enchente logo chegou a sua porta.

Cúmulo Do Conformismo

Posted: 7 de jun de 2009 by Lux Alt in
0

As pessoas se acham felizes,
Quando vêem outras em infelicidade.
Não há motivo mais patético para tal...
Achar que a vida é uma maravilha,
Só porque os outros tem achado-a um lixo...

Como tem sido pra você desejar o mal dos outros,
Para saber que não está você tão mal?

Presença Insólita

Posted: 6 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Ele sempre aparecia como o arco-íris,
Em meio chuva e sol...
E tudo por pouco tempo ficava realmente bonito.

A Boneca E O Príncipe

Posted: 5 de jun de 2009 by Lux Alt in
0


Era mais simples ter dado o brinquedo à boneca do que a droga ao Príncipe. No fim das contas, todos iam sentir a mesma adrenalina que se sente ao cheirar o saboroso perfume da infância. Infelizmente essa fase teve mais idealidades do que se pode ansiar de uma imaginação depravada pela coletividade dos fatos.