Quanto Custa?

Posted: 30 de abr de 2009 by Lux Alt in
2

A identidade?
A vontade de ser?
A sinceridade.
O que se paga pra ver?

Quanto custa o mal ou o bem?
Quanto custa o apetite que você diz ter?
Quanto custa e a quem?
Quanta dor custa o custo de seu prazer?
Porque acham que tudo custo tem?

Então, quanto custa um sensível ser?
Não, não era com você...

Além Das Teletelas

Posted: 29 de abr de 2009 by Lux Alt in
0


Justamente o tempo que precisávamos,
Para registrar a beleza da vida,
Além das memórias,
Que todos considerariam preciosas...

Justamente a vida que se passou,
Tão rapidamente perante todo resto!
Além das falsas idéias,
De eternidades gananciosas...
Justamente algo além das lentes e telas de ilusões tendenciosas!
Justamente algo mais sincero!
Justamente algo mais Livre!

Concessão De Jugulo

Posted: 28 de abr de 2009 by Lux Alt in
0

Não argüiria jamais um real amor ao hipócrita laço eterno...
Afinal qual humano duraria tanto tempo em único sentimento?
As paixões são como estações, quentes ao verão, frias ao inverno
Floridas em primavera e decadentes ao outono vento...

Jamais condenaria minha vontade a anulação...
Prisões sentimentais!
Instituições mentais!
Casamento não é nada mais que de dois egoístas a realização!

Mútua Solidão

Posted: 27 de abr de 2009 by Lux Alt in
0

Ao redor as coisas que induzem ao chão,
Simplesmente faz-se impugnar em tal imensidão:
Quem realmente vive num mundo de mera existência?

Ao redor as aparências parecem corrosões,
E enquanto do âmago existir inquietações,
Saberei que estou vivo e que é minha consciência!!

Ao redor, tudo se decompõe em isolamento,
O rumo do social envolvimento...
Solo sentimento.

Insolúvel Resolução

Posted: 26 de abr de 2009 by Lux Alt in
0


As flores viraram gravatas,
As sementes currículos.
Padrão em corpos de baratas.
Sonhos de sucesso ridículos!

As águas se tornaram merda,
As árvores arranha-céus.
Só concreto é o que resta,
De poluição infinitos véus!

As idéias se dispersaram,
Querendo uma segurança.
A vida se resumiu a esperança,
De dia algum colherem o que plantaram!
Dia algum a natureza terá sua vingança!

Um Dia Em Ossos Apinhados

Posted: by Lux Alt in
0


Um dia você poderá voar para conhecer os milagres da liberdade,
Um dia haverá brisa a soar no amanhecer dos vales intocados.
Um dia você poderá cantar, quando padecer todos os males da civil humanidade!

*Campanha Contra a Vaquejada (PB)*

Posted: 25 de abr de 2009 by Lux Alt in
0

Campina Grande está consolidada como sendo uma das mais importantes etapas de circuitos de vaquejada que ocorrem aqui no Nordeste. Longe de ser motivo de orgulho, essa constatação causa embaraço, lástima e, principalmente, legitima uma realidade sanguinária e cruel: a da morte, da dor e do desrespeito aos animais e ao meio ambiente.

Nas vaquejadas dois vaqueiros correm a galope, cercando um animal que foge, tendo sua cauda tracionada e torcida para que caia no chão, o que lhe causa fraturas, rompimento de órgãos internos, traumatismos em várias partes do corpo e comprometimento da medula espinhal. Sua cauda, muitas vezes, é arrancada.
Apontada como sendo uma manifestação da cultura popular por seus defensores, a vaquejada modernamente se encaixa muito mais enquanto uma indústria institucionalizada relacionada à tortura, a dor e a outros crimes ambientais e ações inconstitucionais.

Lei dos Crimes Ambientais (Lei Federal 9.605/98), Art. 32: é crime praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.

“A natureza cruel é atestada em laudo proferido pela Profa. Dra. Irvênia Luiza de Santis Prada, médica veterinária, Profa. Titular Emérita da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo que menciona a ocorrência de ruptura de ligamentos, luxação de vértebras e lesões traumáticas, enfatizando tratar-se de processos muito dolorosos e que trazem sofrimento mental.”

E é tendo como base nessa evidência e tomando como inspiração precedentes jurídicos em Santa Catarina (Farra do Boi), São Paulo (o rodeio em Barretos), Sergipe (Parque de Eventos Zézé Rocha, em Lagarto), Rio de Janeiro (Parque Ana Dantas, Xerém), Bahia (Serra do Ramalho), Ceará (Sobral), e muitos outros, que lançamos essa campanha, que visa impedir que novas vaquejadas venham a acontecer nos dois parques de tortura animal aqui em Campina Grande, o Maria da Luz e o Haras Cunha Lima. Além dessa intenção, intentamos instigar uma discussão na cidade acerca dessa prática e esclarecer o que é de fato a vaquejada.

Para isso, convocamos a todos os indivíduos e grupos simpatizantes da causa animal para organizarmos essa campanha, de maneira a iniciar as discussões e dar conhecimento a todos de que intentaremos impedir o acontecimento não só da próxima vaquejada programada para o parque Maria da Luz no mês de Outubro como tentar findar essa prática violenta na cidade.

Como início dessa campanha, propomos uma manifestação pacífica nas ruas de Campina Grande, no dia 13 de Maio, dia que a história aponta ser o dia da libertação dos escravos. Por crermos que é nessa condição que os animais vivem e tendo consciência dos direitos constitucionais e legais deles que damos esse primeiro passo, e vos convocamos para que juntos demos passos mais significativos e ousados.
Vaquejada não significa cultura, e sim tortura.

Frente de Libertação Animal.
http://contravaquejada.blogspot.com

Tempo Esgotado, Esgoto Moral

Posted: 24 de abr de 2009 by Lux Alt in
1


Todo o planeta está submerso em sedação...
Os que exigiram a revolução temporal,
Perderam a paciência e concederam rendição.

A Queda Da Definição

Posted: by Lux Alt in
1

Quanto mais alto tentam imaginar,
Que pode haver uma cura para o mundo,
Tentam incessantemente uma evolução...

Quanto mais rápido tentam conjurar,
A realidade do saber mais profundo,
Tentam contraditoriamente inativa revolução...



Ao fim é só melhor parar de pensar
Pois a queda da imaginação,
Pode quebrar as asas hipotéticas da inoperância humana!

Além Do Que É Visível

Posted: 23 de abr de 2009 by Lux Alt in
0

O que você vê além,
Das noticias dissimuladas na sua TV?
O que você vê além
Das moléstias planeadas no fim de semana?
O que você vê além,
Das marcas e rótulos que te dá prazer?
O que você vê além,
Das crenças de moral, mal, pureza profana?
O que você vê além,
Da sua própria natureza mortal insana?

O que você vê além do que é posto, exposto, decomposto a sua frente?
O que você vê além das vontades de ser o que desejam que você seja?
O que você vê além do que dizem que é seu consciente?
O que você vê além do que querem que você sinta, ouça ou veja?
O que você vê além de sua mente?
O que você vê além das esperanças embaladas em descendência?
O que você vê além do horizonte das pontes da decadência?
O que você vê além dessa existência?
Um muro somente!

Diferentes Blecautes

Posted: 22 de abr de 2009 by Lux Alt in
0

Qual a diferença significativa,
Entre quem inicia uma guerra,
E quem tenta findá-la guerreando?

Qual a diferença moral,
Entre quem mata um ser sensível,
E quem aprisiona por prazer?

Qual a diferença real,
Entre eu que não partilho idéias estáticas,
E você que se prende a elas?


Eu sou real! Você pode dizer o mesmo?

Superfície

Posted: by Lux Alt in
0

Na superfície de suas entranhas estará o significado de sua existência,
E quanto mais se aprofundar, não saberá mais quem é,
Posto que todo interior seja igual em carne e ossos.

Na superfície de seus pensamentos a expressão estará em evidência,
E quanto mais sonhar, mais saberá quem é,
Posto que toda mente tenha seu mundo e seu satélite.

Portanto não adianta querer profundidade de coincidência,
A realidade só é mais densa do que a própria consciência!

Todos Animais! Humanos, Irracionais!

Posted: 21 de abr de 2009 by Lux Alt in
0


Nenhum animal entende,
Tão pouco a própria natureza quanto o humano,
Todos sabem o que é necessário e saudável para a vida,
Menos nós!
E apesar de ser tão “racional”,
A única subjetividade em ser animal é não saber o que é razão...?
Afinal... Quem sabe o que é?

A Voz Da Salvação

Posted: by Lux Alt in
0

As vozes não param de ecoar,
Por mais que haja provas que nada há além do além...
Interessantemente ouvidos não se podem tapar,
Perante a desventura do bem.
As vozes influenciam os influenciáveis,
Aparecem nas horas mais convenientes a alguém...

Eu sempre fui surdo para o que explicação não tem...
Porque o auto-questionamento é a única voz,
Que salva a existência do próprio desdém.

Vingança Pelas Falsas Psicopatias

Posted: 20 de abr de 2009 by Lux Alt in
0

Foi uma questão de tempo constatar
Que não havia mais um pensamento puro,
Enquanto todos tentaram expor
Uma máscara de insanidade se jogando ao muro
A insegurança de uma tempestade
Fez unir as idéias de insegurança.
E por mais que todos tentassem
Reagir com todas as armas, não haveria mais lembrança.
O que era mental simplesmente foi corrompido
Pela falsa idéia de ser esperança!
Se achou que estava seguro ao se dizer louco,
A rede da demência teve sua vingança!

Alternativa Do Fado

Posted: 19 de abr de 2009 by Lux Alt in
0


Há muito tempo atrás
Eu me preocuparia
Em repelir as moscas dos olhos,
Mas chega um dia
Que apesar de perceber
Que a vida é curta demais,
Percebe-se que não
Podemos fugir,

Mas pelo menos
Podemos escolher
Abutres antes invés das moscas!

Escolha Da Derrota

Posted: 18 de abr de 2009 by Lux Alt in
0

Não há possibilidade na mudança humana,
Há um fato mais encubado,
A certeza vem tão completa
Quanto a própria possibilidade de ar solidificado...
Não se descobriu cura
De todos os cânceres, as mazelas perpetuam!!!
As feridas estão
Por todas as entranhas da terra, céu e do mar!
A infecção está generalizada
Por dentro e por fora!
Não há vitalidade no que se diz civil.
E por mais triste que pareça,
A derrota não está no discurso,
Sim na proliferação da contaminação!

Infelizmente não escolhemos nascer,
Mas podemos ter outras escolhas!

Suspiros Condensados

Posted: 17 de abr de 2009 by Lux Alt in
0


Luzes que piscam ao infinito,
Pensamentos engrenados!
Floresta do capital conflito.

A Casualidade Das Causas

Posted: 16 de abr de 2009 by Lux Alt in
0

Tudo o que necessitamos não é o que queremos,
Por mais que nos sintamos bem sendo naturais,
Algo queima o âmago da idéia de existência.

Tudo o que queremos é o que dizem que queremos!
Em uma batalha incessante de obrigações capitalistas,
A vida toma um rumo indefinido perante o que é ego.

Tudo o que vivemos parece simplesmente fraude
Quando constatamos o abuso que submetemos outras criaturas!
E mesmo sabendo que há ao redor quem reparta a mesma idéia...
A idéia final nunca ultrapassa frustradas egocêntricas desventuras!

Tardias Menções (+ 1 Ano Sem Insolações)

Posted: 15 de abr de 2009 by Lux Alt in
0

Você me amou,
Mais do que pôde
Imaginar que sou,


Mesmo que eu quisesse dizer todas as mais belas expressões,
Minha imaginação ficou presa a mim com a ganância social.
Mesmo que eu quisesse fazer algo contra as celas/degenerações,
Era sua escolha ver beleza em tudo que era distância racional...
Mesmo que eu quisesse o prazer, não teria mais importância sem amor real.

Gostaria De Ser... Natural!

Posted: 14 de abr de 2009 by Lux Alt in
0

Gostaria de dizer que preferia ver sua morte a sua prisão!
Mas todos já nos acostumamos com todas as grades...
Gostaria de pensar como um animal sem tanta indução!
Mas todos queremos a recompensa por sermos covardes...

Gostaria de ser algo menos do que tenho como imaginação!
Mas todos querem que pensemos além da carne e ossos...
Gostaria de não pertencer à desejosa humana estagnação
Mas toda ação é tida como inútil numa terra sem anseio e esforços!

Gostaria de ser algo mais do que constru-contradição e destroços!
Mas os desejos sempre livram todos de emoções remorsos!

Reflexões

Posted: 13 de abr de 2009 by Lux Alt in
0

Quem estará lá pra mencionar que a loucura atingiu seu ápice?
Quem estará lá pra ver as cinzas do pensamento flutuarem?
Quem será o primeiro a constatar que não há mais segundo?
Quem olhará ao fim do túnel o reflexo do que foi transparência?
Quem será o reflexo de seu eu real?

A Concepção de Vida

Posted: 12 de abr de 2009 by Lux Alt in
0


Absorveu-se em um paradigma indefinido,
Para poder ter a concepção do que era certeza!
Depois que teve seu consciente dividido,
Pode sentir por si qual amplitude da natureza.

Num momento de entretenimento subjetivo,
Soube que nada mais era tão vital quanto ser livre!
E depois de saber de seu constitucional objetivo,
Teve a certeza que libertar tudo é porque se vive!

Você completamente vive, eu também vivo...