Depoimento De Um Viciado Crônico

Posted: 31 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
1

Eu não teria como negar... Ainda sou viciado. E provavelmente ainda o serei por bastante tempo. Até meu corpo não mais agüentar.

Lembro hoje como tudo aconteceu... Ou pelo menos alguns detalhes. E são esses pequenos detalhes que marcam. Que talvez tenham aberto as portas pra essa coisa. Lembro de me perguntar onde estava deus, e foi então que não tive resposta e creio foi a primeira vez que experimentei. Fazia tudo o que vinha na telha, sem pensar em conseqüência, sem pensar no que os outros estavam pensando ou se incomodando comigo. E logo na adolescência vi que a coisa ia ficando mais pesada. O controle não existia mais!

Toda aquela estrutura familiar que existia estava sendo destruída pelo meu vício. E eu cada vez mais dependente ia me tornando outra pessoa. Ou pelo menos não era mais o mesmo que meus pais queriam que eu fosse. E adolescente conheci um carinha que se tornou meu namorado, talvez o melhor traficante que eu tive... Acho que porque na maioria das vezes eu não pagava o que usava. Afinal ele também tinha de mim outras coisas...

As amizades sempre influenciam. Sejam apoiando no uso e conseqüente dependência, ou para mostrarem que só sendo um viciado mesmo não vai se tornar um careta como elas... Pois em todas as festas e em todos os ambientes que estava eu precisava usar. As regras não me cabiam, nem me cabem. Quero usar sempre e em qualquer hora e lugar! E digo a você que não tem graça nenhuma estar sem. Depois que vislumbrei o mundo em cores... Porque eu iria querer saber de estar em meio a pessoas monocromáticas?

E é triste, admito, ver sua família lhe implorando para deixar o vício... Como se isso fosse uma escolha simples. Como se isso fosse uma opção. E eles lhe prometem o mundo para que você negue que é usuário e viciado... Até porque é uma vergonha ter um filho assim.

E há momentos que você se percebe sozinho, e até os antes viciados procuram uma salvação afinal. E até os antes viciados não eram tão dependentes assim.

E pra ser mais sincero uma das melhores partes é ser traficante. Poder fazer as pessoas experimentarem aos poucos o êxtase arrebatador. Ver nos olhos o brilho, o desejo, os lábios trêmulos pedindo por mais, mais e mais!

Mas eu não tenho como negar... Podem me enclausurar por quanto tempo for, podem me torturar e tentarem me impor tratamentos de alienação. Mas continuarei sendo viciado e traficante da melhor coisa do mundo! A liberdade!

Despedida De Conluiados Incógnitos

Posted: 28 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
1


Mesmo que sintamos sinceras saudades,
Sabemos agora que o mundo é pequeno,
Quando se está a atravessar realidades,
Todo tornado parecerá vento ameno.
Um dia haverá a celebração da alforria,
Mesmo todos estando fisicamente separados,
Que possamos provar cada anestésica fantasia
Sem olhar para lugares passados.

Mesmo que sintamos falta fraterna,
Sabemos que páreas terminam se encontrando.
Por cidade, por mar, por floresta ou caverna.
Voando, correndo, ou pedalando...
Um dia haverá paz no pensamento
Ao provar e ter as estradas infinitas adiante!
Tropeçaremos no reconhecimento
Das liberdades conquistadas a cada instante.
Mesmo que sintamos saudades, é o momento das despedidas.
Incógnitos... Avante!

Vingança Desnuda II

Posted: 26 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
1


Niki só queria mostrar àquela dondoca como ela ficaria bem vestida com sua própria pele. E foi o que fez... Rasgou todas as vestes de grife e deixou a infeliz que antes estava usando também uma pele de raposa, nua à noite na rua da fria cidade. Uns jovens de classe média que nada tinham pra fazer pensaram que a dondoca escondida chorando atrás de um ponto de ônibus era uma garota de programa e a espancaram até a morte. E mesmo assim ela não conheceu todo o sofrimento da raposa que ela usava.

Nova Ordem Mundial

Posted: 25 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0

Tecnologia de ponta totalmente invasiva!
Transforma a informação de massa,
Na arma mais destrutiva!

Quereres Adquiridos

Posted: 24 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Chris sabia que tudo podia, e se importava e acreditava tão profundamente que podia modificar a realidade. Sabia que não havia uma programação para o seu curso, como se isto estivesse programado em seu intimo desde o nascimento. A vida não é passiva! O mundo é o que fazemos dele. E Chris sabia disso mais do que tudo, era o que queria ser a sua própria maneira sem se importar com o resto. Chris tanto quis que chegou o dia em que estava em satisfação completa. E então nada mais quis. E o nada Chris teve.

Ensejo Constante

Posted: 23 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0

Eu desejo cada instante como se fosse o final de toda existência.
Eu beijo cada amante como se fosse de primordial essência.
Eu vejo vitalidade infante em tudo que faço como mortal iminência.
Eu almejo cada restante de vida como inicial reticência...
Eu desejo a existência!

Sentimentos Apáticos

Posted: 22 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Sentimos muito, mas não sentimos nada por vocês.
Que inflamam ser livres ao se aprisionarem em seu gênero, em suas condições “naturais”.
Sentimos muito, mas não nos faz sentido tal direção.
Talvez vocês nos achem arrogantes ou pensem que pensamos sermos melhores.
Mas é melhor para nós sermos os incógnitos que somos.
Talvez vocês nos achem irreais por realizarmos tudo o que propomos.
Isso não é uma simulação! Nós somos reais! (Eu sou real!)
Mas talvez vocês pensem que não somos.
Isso porque vocês acham a liberdade uma utopia.
Acham que jamais acharão a essência do que é ser livre.
Acham que é atuação?

Sentimos muito se vocês têm mania de serem inferiores ou abusados...
Sentimos muito se vocês querem igualdade excluindo e segregando...
E nem percebem a contradição de tais vontades...
Sentimos sim, que estamos através de tais idéias e ideais...
Se vocês acham que nos achamos melhores ou superiores por isso,
Talvez vocês devam rever o que sentem realmente sobre o que propomos e sentimos.
Será que vocês acham melhores nossas idéias?

Sentimos muito, mas se sua idéia de liberdade é isso...
Não sentimos NADA por vocês. E nada é nada...
Nem simpatia, nem antipatia.
Somente apatia.

Limites Temporais Pessoais

Posted: 21 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0


Ao mesmo tempo em que tempo não há para viver,
O tempo é só mais uma limitação que usam para fugirem do agora.
Para que se matar de tanto correr se o relógio sempre,
Sempre volta ao mesmo tempo.
O ponteiro volta ao mesmo ponto.
O tempo só é mortal para quem está vivo!
Então curta a vida, pois a vida curta é.

Páreo Reflexual

Posted: 20 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0


Quando se ama,
Tudo é possível.
E quando se ama a si mesmo,
É impossível amar mais outrem,
Do que o reflexo conceitual.
Quando se ama o pleonasmo,
É impossível não ser amado.
Como a si mesmo.

Ninguém se ama a esmo,
Nenhum orgasmo
Faz-se mais do que sexo...
É só completo reflexo.

Fronteira Da Expansão

Posted: 19 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Somos órfãos da imensa terra,
Sem abrigo e sem o calor dum ninho.
Somos órfãos de paz e de guerra,
Sem mapas, sem trilhas e sem caminho.

Somos além de mares e continentes,
Sem pátria amada ou bandeira.
Somos além de família e parentes,
Sem muros, línguas ou fronteiras.

Somos unidos na imensidão...
Sem residência, sem raízes e sem prumo.
Somos mais do que consangüíneo irmão,
Na resistência da eólica rendição...
Somos cosmopolitas sem cidade, estado, país e sem rumo!

Bandeira Da Expansão

Posted: 18 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Nossa bandeira é formada por um símbolo que não é físico. E mesmo que os símbolos nada profundo signifiquem para nós. Talvez o significado que faça entender melhor qual o contexto de nossa presença no espaço e no mundo.
Nossa bandeira que não é de tecido. Nosso símbolo que não é desenho. É um emaranhado de setas organizadas apontando para cada lado imaginável. Cada recanto. E onde estivermos no mundo, este símbolo que é mais do que uma idéia, também será nossa bússola!

Reconhecimento

Posted: 17 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
1


Somos artífices da vontade,
Extensão de desejos vomitados,
Ruminantes de prazeres ilimitados,
Predadores e destruidores de limites e muros...

Somos crentes no êxtase,
Intenção de livre paixão inflamada,
Arquitetos de alamedas infinitas,
Eremitas e residentes do horizonte e do futuro...

Somos o que somos além de conceitos definidos,
E não há o que temer, nem por tempo nem espaço.
Sempre haverá tempo pra ser livre. Sempre haverá lugar...
E nós nos encontraremos. Reconheceremos-nos... Eu juro.

Era Uma Vez Um Sol Distante

Posted: 16 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Uma vez o Sol iluminou a Lua,
Uma vez eu me queimei...
Uma vez tudo incendiou em decadência crua.
Uma vez eu amei...
Uma vez o Sol caiu em rochedos da loucura...
Uma vez eu implorei...
Uma vez o Sol separou-se e fez a cura...
Uma vez eu sonhei...
Uma vez o Sol findou no horizonte distante...
Uma vez o Sol foi amado amante.

Um Tanto De Resto (à Estamira)

Posted: 15 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Quando se percebe que tantos dos semelhantes
Vivem dos restos que dispensaram ao leu,
É impossível não sentir-se um montante,
De resto compactado em forma semelhante.

Quando se percebe produtor de tanto resto,
O resto parece maior do que o tanto útil...
Quando se percebe vivendo em tanto desperdício
O resto faz você se sentir um tanto inútil.

Quando percebemos que todo o resto é irreal,
As ilusões de necessidades parecem sacrifícios...
Quando se percebe não carecer nem do resto de resquício,
Libertar-se do moral irracional torna-se um vício.

Com Amor Profeta...

Posted: 14 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Você clama que teu profeta me ama,
Mas você me odeia por eu ser tudo o que você gostaria de ser;
Você me odeia por eu ser algo que foge de seu escravo juízo.

Você clama que teu profeta me ama,
E justifica isso ao me estuprar, me mutilar, me comer, me torturar...
Você me ama ao ponto de não me deixar desejar o mundo.

Você clama que teu profeta me ama,
Mas seu conceito de amor sempre está ligado ao seu pecado original
Um pênis, uma vagina, seios, bocas e um cú é o amor que você reconhece.

Você clama que teu profeta me ama,
Eu pergunto se ele sabe ler os jornais que noticiam constante e incessantemente
As desgraças das piores crueldades de todos esses outros amados.

Você clama que teu profeta me ama,
Mas que amor é esse que dá o direito de guerrear por paz?
Que amor dá o direito a destruição e a fome?

Você clama que teu profeta me ama,
E eu até poderia fazer o sacrifício em amar-te... Caso acreditasse eu em profetas.
E então... Você ainda me ama?
Espero que tenha pelo menos preservativos...
Não estou disposto a amar outro de mim.

O Sentido De Tudo

Posted: 13 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Um dia ela sentiu em um único momento arrebatador... E foi enquanto se masturbava na areia de uma praia deserta. Olhando para um coqueiro. Que aquilo era tudo o que realmente era real. Aquilo era o importante.
Ouvindo seus gemidos ecoarem nas ondas, o ar e a maresia nos lábios, o corpo a se completar duma essência jamais experimentada...
Um dia ela sentiu o sentido da vida e de tudo. Um dia ela se sentiu parte do tudo!

Até O Último Instante

Posted: 12 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Eu não teria como negar, mesmo que achasse piegas...
Eu sei que soubemos o que amar sem limites e sem regras.
Eu não teria como fingir, mesmo que fosse exímio ator.
Eu sei que soubemos o que é fundir ao limite conceitual de amor.

Eu não teria como comparar mesmo sendo imparcial...
Eu sei que soubemos o que é tocar além do corpo mental.
Eu não teria como omitir mesmo para salvar minha pele da necrose,
Eu sei que soubemos o que é se completar ao ponto de simbiose.

Sei que amado fui, e que no âmago, não morre o amor.
Eu sei que o Sol está somente do outro lado.
Um dia, mesmo que demore... Outro eclipse ocorre.

Eu te amarei até o ultimo instante...
Liberdade eu te amarei...
Até...

Quem Sou Eu?

Posted: 11 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Quando chega o fim do dia, o vento sopra ao ouvido...
Não há mensagem, não há respostas... Só o vazio e a solidão.
E o isolamento adentra arrebatando os corredores do ego.
E a constante se faz em forma de questão...
Quem sou eu? Estou vivo, mas mudo surdo, cego...
Quem sou eu? Sem sentir a própria prisão...
Quem? Quem sou eu?

Quando chega o fim do dia sinto que não há fim...
Não há uma décima segunda ou vigésima quarta badalada.
O tempo faz as sombras me arrastarem para o oco jardim,
E uma pergunta se faz repetidamente calada...
Quem sou eu? Estou vivo, mas não sinto outro nem a mim...
Quem sou eu? Sem sentir a grade gelada...
Quem? Quem sou eu?
Quem?
Sou
Eu?

Soldado Viciado

Posted: 10 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0


Sempre em minha mente
A interrogação se faz presente.
É sempre um presente
A constante dúvida eminente.

Só minha voz sussurra!
E é meu o olhar que denuncia.
A força de meu corpo é o que empurra
E a minha marcha mesmo que solitária se inicia.

Um soldado DeMente
Pronto a morrer pelo que importa finalmente.
Pela liberdade...
Minha pátria, minha bandeira, meu estado, a única droga que me vicia!

Fazendo Questão De Se Questionar

Posted: 9 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0


Se você faz densa questão assim
De que seus segredos sejam inomináveis pecados,
Morra no mais profundo segredo arcano!

Pois só pecados serão
Para os que conhecerem
Seus tão estimados mistérios!

Se você faz tanta questão assim
De ter culpas como vitais limites...
Morra na mais venerável santidade da pureza!

Pois só santos serão
Aqueles que não viverem,
Aqueles que não tiverem controle de sua vida.

Se você faz tanta questão assim
De ser o que querem que você seja,
Então porque está lendo isso e se ofendendo intimamente ?
Você faz questão de ser você? Então porque ainda responder?

Idéia Inesgotável

Posted: 8 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


A vida é viva, na saúde e na doença.
Presente intransferível e irrefutável.
O êxtase é única crença!

Propriedade Paterna

Posted: 4 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0

O filho é seu,
Até o dia,
Em que ele sai de você!
Empós de então,
Ele é do mundo!

E só o mundo
Pode ensinar algo de expressivo.
Só o mundo poderá nutrir...

Recusa A Adormecer

Posted: 2 de dez de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Simplesmente nos recusamos a nos enclausurar,
Num sono que não se tem sonho nem fantasia.
Meramente porque já pudemos vislumbrar
O que é acordar e tocar a realidade que extasia...

Simplesmente nos recusamos estar adormecidos,
Perante o que o dia nos chama a experimentar,
Meramente porque esse faz sentirmos os sentidos...
O que é estar vivo em liberdade a se fermentar...

Simplesmente queremos estar constantemente despertos,
Mesmo que tudo adiante ainda pareça pesadelo,
O horizonte nos chama a conhecê-lo!
Os caminhos, assim como nossos olhos
E pensamentos libertos estão sempre abertos!

Vício Em Liberdade (Aos Amigos De Conluio)

Posted: 29 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
4


Fazia parte de toda idéia, sermos diferentes.
Sabíamos que jamais nos igualaríamos ao resto.
Fazia de nossa parte não ceder nossos corpos e mentes.
Sabíamos que conseguir liberdade estava além de mais um protesto.

Fazia parte de nós não sermos parte de nada,
Sabíamos que se provássemos poder, seria nosso fim.
Fazia parte de tudo, não termos nenhuma pátria amada,
Sabíamos que se um lugar fosse nosso, para todo o resto seria assim.

Fazia parte de nosso acordo não acordar os sonhadores,
Sabíamos que nem todos vivem na culpa de se estar na realidade.
Fazia parte de nós não nos apaixonarmos por tais pecadores,
Sabíamos que a convivência corrompe quem ama tal comodidade.

Fazia parte de nós não sermos parte disso...
Sabíamos que estar livre seria mais do que difícil...
Um vício incontrolável de ser, estar e querer fazer tudo em liberdade!

Um Dia... Quem Viver Verá!

Posted: 28 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0

Um dia chegará, e logo você entenderá que tudo o que eu não busquei me confortou mais do que seus móveis e imóveis.
Um dia chegará, e logo você lembrará que eu me arrisquei e vivi tudo o que me era oferecido pela vivacidade da vida.
Um dia chegará, e você logo verá que não percebeu nada mais do que o papel de presente, quando a vida é o presente em si.
Um dia chegará e você logo saberá que para mim não há diferença em ser enterrado ou jogado ao leu, enquanto você ainda pensa como será seu ataúde.
Um dia chegará e tarde demais será para largar tudo e mergulhar na essência do que é viver.
As vezes, pode ser doloroso, mas em contrapartida é por demais prazeroso.
Um dia você entenderá que a vida deve ser vivida extasiada, e não guardada.

Desmortos Conceitos

Posted: 27 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


O seu conceito de morte é tão limitado e ambicioso quanto seu olhar acerca da vida.
O que você faria se pudesse redefinir seus conceitos? Mas que não pense só em você!
Afinal, nem só você está vivo, nem só você está morto. Nem só você está desmorto.

Seria ignorância nossa não chegar a um consenso sociopolíticocientífico do que é vida e o que é morte?
Pois saiba, não há tal consenso...

Vingança Desnuda

Posted: 26 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Niki participou de vários protestos e ações contra o uso de peles de animais. Até chegou a tirar a roupa em praça pública várias vezes. Isso de algum modo repercutia, mas miseráveis dondocas ainda usavam peles de raposas para se enfeitarem. Um dia ao passar em frente a um shopping se deparou com uma dessas fúteis figuras.
Com seu canivete em mãos Niki rasgou mais do que o casaco dela.

Vital Escolha Fecundada

Posted: 25 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0


Nossa vida é ou deve ser mais do que segurança
Nossa vida não é um padrão espiritual etéreo,
Nossa vida deve ser mais do que paradisíaca esperança.
Nossa vida não foi feita para ser um global câncer séssil.
Eu escolhi fazer da minha vida a mudança e me fazer estéril.

Promessas Partidas

Posted: 24 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0

Era jurado de ambas as partes,
Não fazermos parte de partidos,
Não nos perdermos, nem partir
Nossos corações.

Derretidos Sentidos

Posted: 23 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Ninguém sabe ao certo,
Como é estar sentindo...
Que tudo está se deformando,
Perdendo a forma do original,
Que tudo está perdendo o sentido...
Tudo está derretendo.

São mais do que lágrimas....
E por pior que possa parecer.
Sentir algo faz sentir-se vivo!
E estar vivo, e saber disto
Acarreta mais outras milhares de sensações,
Porém a coisa que mais tem sentido no momento
É que estou derretendo...

Ninguém jamais vai chegar
Ao nível empático de ser o outro,
Mas é possível ter
Uma instantânea noção
Do que é estar sem emoção...
E somente sentir
Que nada mais passa
De passado derretido.

Exigência Para Relacionamento Sincero

Posted: 22 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Se quiseres mesmo ter minha afeição
Ou comigo qualquer tipo de relação.
Tenha total consciência dos fatos
E de toda carga que tal afinidade pode trazer.
Conseqüência de uma amizade com idealistas de um mundo livre!

Então, quanto tempo em uma mesa de tortura você agüentará por mim?
2+2 são...?

A Sujeira Não Está Na Areia

Posted: 21 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Abaixo dum escaldante sol, crianças brincavam em um amontoado de areia. E mais do que vermes e lembranças, elas trocaram fluidos e carícias. Ser criança é se sujar com pureza!

Incógnita Solidão

Posted: 20 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Todos nós possuíamos um pedaço de tudo...
Um quebra-cabeça de peças de bocas, pênis, vaginas e anus...
Podíamos ser tudo: Mulheres, homens, intersex, alienígenas... Incognitos...
Todos éramos indivíduos com identidade própria... E sem identidade nenhuma.
Quando perdemos isso? Quando nos arraigamos a uma coisa só?
Quando deixamos de sermos nós mesmos
Para sermos o mesmo que todo resto?

Eu ainda me sinto...
E sinto mais ainda solidão identitária...

Vergonha Indecente

Posted: 19 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Não se envergonhe por mim,
O pudor é seu todo e completamente!
Seu moral inconsistente é falácia sem fim.

Reflexos Identitários

Posted: 18 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Enquanto olharmos
Aos outros como diferentes,
Jamais sentiremos
Como iguais igualitários.
Jamais poderemos
Reivindicar empate, conseqüentemente.
Se somos preconceituosos segregários.

Só quando arrebentarmos as cordas do indiferente...
De manipulação de marionetes sociais, poderemos ser libertários.

Pensamento Atravessado Ao Avesso

Posted: 17 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Por mais que tentemos, um pensamento surto,
Atravessa e avessa a mente para elucidar.
O que em outro instante era sombra de vulto,
Fez se revelar que era pleonasmo se suicidar.

Por mais que tentemos, o pensamento cruzado
Faz termos a certeza de se anular alternativas.
O que em outro momento era ar sintonizado,
Transformou-se em mera estática radioativa.

Por mais que tentemos ter o pensamento puro,
Ainda há trânsito poluidor de mentalidade...
Em outro momento que não seja ilusão de futuro,
Há de se obliterar a vontade de estar seguro em liberdade.
Eu asseguro: atravessar e avessar o pensamento é mais uma legitimação da realidade!

Tempo Temporal

Posted: 16 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Nem só as pessoas mudam com o tempo do inominável,
Nem só o tempo muda todo o contexto de se estar vivo.
O tempo muda com as pessoas e com todo lugar e indivíduo.

Nem só a espera depende de um atraso do inevitável,
Nem todo ponteiro vai girar horariamente às esperanças...
O tempo muda mais do que o espaço ou as lembranças.

Um dia verás que nada de tempo existiu quando o fim chegar,
Mas será tarde pra perceber que não adiantou tanta pressa...
A vida é o único tempo que temos pra ser e pegar.
Agarre a areia fluida de sua vida que não espera. Roube sua vida de volta! Não peça!

Falsidade Ideológica Da Atmosfera

Posted: 14 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Falsas datas, falsas comemorações.
O desalento visita a moradia do pensar...
Num castelo de pura indiferença, as paixões emanam desdém.

Falsas esperanças, falsas ações.
O isolamento faz a mente se libertar...
Mundo paralelo de descrença, as imbricações de mal e bem...

Falsas lembranças, falsas emoções.
O tormento em ser o que sente amar...
Juízo de martelo, a sentença leva a condições de pós-além...

Você foi o elo em presença de contradições que o eu é e tem.

Acordando Sozinho

Posted: 13 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
1


Quando o sangue passou a ser de todas as formas e cores
Quando todos sentiram que não mais eram iguais ao tudo
Quando tudo se diferenciou do que é ser sensível as dores;

Simplesmente quando não mais acharam
A resposta exata para o que é o estado absurdo de se estar vivo!

Resposta Do Delírio

Posted: 12 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Somos quando a balança
É a razão do equilíbrio,
Sem esperança.

Brinquedos Conscientes

Posted: 11 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0

Igor sempre estava brincando com seu boneco elétrico do Zenytz 5000, que funcionava graças a uma bateria de lítio. E esse falava algumas frases de ânimo. E juntos criavam historias que jamais seriam esquecidas ou roubadas. Um dia a mãe de Igor pediu a bateria do boneco para poder usar em uma calculadora. Mas seu filho revoltado logo retrucou que jamais mataria seu amigo. E as frases vieram em voz metálica: Você quer ser meu amigo? Obrigado! Eu sou real!

Muros Íntimos (Muros Libertários)

Posted: 10 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0


Esse muro, de que tantos falam, que tantos sentem...
É o que nos separa... A única coisa que nos separa.
Mais do que um mero símbolo como tantos mentem.
É o que faz sentir a única dor que a nada se compara.

Esse muro é mais do que mero concreto fisicoespacial,
É o que faz do dia a noite sem luar e a noite sem sol matinal...
Mais do que sensações de prisões sociocultural,
É o que faz o nada se tornar tão sólido e o real em surreal.

Um muro cai a cada tentativa de fuga.
E se estivermos dispostos, nenhum muro haverá para ser real.

O Sonho Palpável

Posted: 9 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , , ,
0

Quanto mais se dorme,
Mais sono se tem.
E o costume de se deixar,
Entorpecer,
Faz cada vez mais...
Querer,
Ficar entorpecido...

Quanto mais se fechar os olhos,
Os sonhos se tornarão pesadelos.
Ao costume de não viver,
Os desejos se apagarão.
Como se tivesse dormido.
Acordar é uma questão de vida,
A morte é só mais um sono.
A liberdade é o sonho
Que pode ser vivido
Em realidade!

Pedalando Uma Idéia

Posted: 8 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0

Pegue essa idéia luminosa!
Transforme suas pernas e poluentes,
Seja livre da doença ociosa,
Que é estar preso a rodas iminentes.

Se disserem que há tempo, mentem
A terra não mais agüenta a dor,
O colapso está ai, e nem sentem.
Só podemos aliviar o horror.

Não é questão de futura geração,
É questão de uma vida em respeito
A tudo o que está na imensidão.
Dum planeta em morte leito...

Um dia verão que pedalando,
Poderiam ter evitado um furacão.
Um dia sentirão que pedalando,
Aquele inverno não seria verão.
Um dia a idéia também estará pedalando.

Tempos De Vaguidão

Posted: 7 de nov de 2009 by Lux Alt in Marcadores: ,
0


Houve um tempo em que a vista alcançava a lua...
E mesmo assim, não havia cavaleiro... Nem dragão...
Houve um tempo que a descrença era mais nua.

Vinho Vulgar Especial pdf

Posted: by Lux Alt in Marcadores: ,
0

Uma compilação de todas as edições do Vinho Vulgar e mais um pouco inédito. Para comemorar cinco anos de devaneios de poetas vulgares. Muita poesia inebriada, em formato perfeito para saraus. Imprima se preferir e divulgue a vontade! Formato retrato, dobrado ao meio na vertical. Para baixar clique AQUI.

Você Não Está Sozinho

Posted: 31 de out de 2009 by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Quando o mundo
Parece contra suas idéias, quando os seus ideais não são reconhecidos,
Quando todos
Riem de suas pretensões, quando tudo parece dar no mesmo caminho.
Quando o mundo
Parece querer esmagar e transformar sonhos em arames retorcidos,
Quando todos
Estiverem de você esquecido. Lembre você não está sozinho.

Quando o mundo
Diz que sua vida é uma mentira e que todo o consumo é o importante,
Quando todos
Dizem que você é neurótico por duvidar duma verdade de pergaminho,
Quando o mundo
Quiser que você siga cegamente uma conduta de ódio intolerante,
Quando todos
Chamarem-te de louco errante. Lembre você não está sozinho.

Quando o mundo
Tentar naturalizar a violência, o fascismo, e qualquer preconceito,
Quando todos
Quiserem que você denuncie seu familiar, seu amor ou seu vizinho.
Quando o mundo
Parecer uma prisão sem razão, num redemoinho de caos perfeito...
Quando todos
Os ditos livres quiserem te encarcerar num conceito.
Lembre você não está sozinho.

Toda loucura que tenho no peito é mais do que ódio ou carinho...
É mais do que idéia ou preceito
E se você sente como eu... Eu também não estou sozinho.

Ambígua Personalidade

Posted: by Lux Alt in Marcadores: , ,
0

Ao abrir aquela caixa torácica tiveram uma surpresa não tão apática;
Era de tudo uma maquina. Afinal, aquele era ou não o familiar que morreu trabalhando?
Ao fazer a autópsia não havia mais nada de humano naquele resto... De destroço...
Era de tudo uma máquina. Afinal, quando deixou de ser o humano pra ser... Um não ser?
Não houve enterro, nem haveria arte feita de material reciclado...
De nada serviria um não humano... Não máquina.
Lixo mais insustentável, não poderia ter sido criado. E ele como todo o resto do que não resta foi para as profundezas do mar...

O despertador tocou...
E ao abrir os olhos procurando o espelho ele notou que ainda era ele... Mas como ter certeza que por dentro ele era realmente carne e osso?
A solução poderia vir com sangue, mas ele preferiu não mais ir trabalhar. E sentiu a resposta.

Retribuição De Favor

Posted: by Lux Alt in Marcadores:
1

Arthur sempre quis ser um andarilho. Sentir no rosto o ar de lugares diferentes. Mas seu pai, um senhor com saúde já não tão boa, estava divorciado por ser machista e solitário por ser ranzinza. E exigia de Arthur uma companhia já que ele a tinha dado até então. Tinha dado a vida a seu filho. Aconteceu que num dia o filho pôs nas costas a mochila e deixou um pote de sêmen com um recado onde dizia: “dívida paga!”

Cópula Sem Sede

Posted: 30 de out de 2009 by Lux Alt in
0


Doce mergulho
Na xícara de chá verde,
Engole o barulho.

Todo orgulho
Jogado a parede,
Das cinzas ao bagulho.
Tanto prazer sem sede...