A Facilidade Da Inoperância

Posted: 15 de dez de 2008 by Lux Alt in
3

É fácil se ausentar de ter alguma envoltura
Quando a violência não foi somente consigo...
É fácil dizer que se fará algum tipo de postura
Quando a justiça além de tudo já é um inimigo...

Infelizmente isso seria simplesmente mais fácil
Se não soubéssemos de nada que acontece de ruim,
E principalmente a nossa volta, se não fosse tão tátil,
Que todos sentissem que dor é dor, pra você e pra mim!

Seria fácil se não ouvíssemos o grito de dor do mundo.
Seria fácil se ausentar de qualquer responsabilidade,
Se os sentidos de liberdade fossem recortados.
Seria fácil calar se não tivéssemos mais boca ou atividade.

Todos os sentidos nos parecem funcionar muito bem...
Então porque ainda aceitamos que dentre nós haja quem
Possa violar esses sentidos e sentimentos também?
É mais fácil? Mas quem disse que viver seria fácil meu bem?
O que você vê é o que você tem, mas ninguém vive sem ninguém!

Pensamentos Asilados

Posted: by Lux Alt in
0


As lágrimas não foram suficientes pra comover.
Em realidade, nada nunca é como você se vê
Senão podemos descrever tudo o que sentimos.

Falar-se em prantos não vistos
Parece demasiada inocência.
E assistir isso parece simplesmente chorar por dores alheias.

Eu sei só eu poderei saber que sinto realmente... Muito.
Jamais poderemos ter a real percepção
Do que é estar preso enquanto não formos livres,

E tenham certeza, jamais sentir-se-ão presos
Sem ter provado o mínimo de possibilidade de liberdade.
Mas antes tentem abrir as grades de gusa de vossa mente!
A criAtividade é a chave.

Ponteiros Opostos

Posted: by Lux Alt in
1

Não nos alcançamos mais...
Os conceitos de liberdade
De prisão,
E de opressão nos são díspares agora...

Não nos conhecemos mais.
Tudo o que decorreu ficou nos alvitres
De viagens etílicas
Enigmáticas,
E apocalípticas.
Tudo se tornou abstêmio demais
Perante as novas consumações
De inconsciência das metáforas intrusas.


Não mais raciocinamos a mesma língua,
Não mais temos objetivos
Adjetivados na mesma sintaxe.
Tudo foi conjugado em tempos diferentes.
Agora nossos ponteiros giram para lados diferentes...

Somos libertários com conceitos diferentes a respeito de nossa paridade.

Chamas De Palha Dourada

Posted: 14 de dez de 2008 by Lux Alt in
0

Podemos dizer que tivemos os melhores momentos,
E esses jamais voltarão ou serão comparáveis.
Podemos pensar que ninguém jamais terá tais sentimentos,
E esses jamais passarão, são imemoriáveis.
Podemos ter quantas paixões forem prováveis,
Mas jamais seremos pensamentos tão inflamáveis!
Podemos... Seremos...

Incógnitos No Baralho Da Loucura

Posted: by Lux Alt in
1

Oh tantos reis passaram por essas terras
E nenhum pode ter o sentimento
Que conservamos em nossas entranhas de incógnitos.

Oh tantas rainhas tentaram cortejar
A magnitude de ser completamente real consigo
E não conseguiram nada mais
Do que um jogo de realidades descartáveis
No baralho da loucura cotidiana
Nunca achando a carta final para se vencer as vicissitudes.



Oh tantos coringas riram de nós
Quando falamos que não éramos cartas desse deck...
Quem está perdendo agora?

Egoísmo (Melhor Auto-Ajuda)

Posted: by Lux Alt in
0

Não importa quantos livros vendam,
A humanidade não muda.
Não entendam!

A Queda Do Pecado

Posted: by Lux Alt in
1

Se por acaso vir meu reflexo
Passar na poça de teu vômito,
Não se preocupe...
Eu não estava do teu lado
Para segurar teu cabelo,

Não se preocupe...
Eu não queria desdenhar
A fraqueza de ser você,

E sim para tomar de ti a inspiração
Mais significativa de toda noite.
Eu prometo,
Algum dia deixarei me olhar de cima também...
Mas não hoje.

Aperte O Botão!

Posted: by Lux Alt in
0


Como todos são usuais mesmo fora de meu globo cerebral!
Todos meus personagens, meus desejos de heterônimo.
Sinto muito não saldar o devido custo por tal,
Mas também estou no elenco de sufrágio, mesmo homônimo.

Embora seja também roteirista da adaptação,
Sou eu quem diz quando carecemos parar a ficção!
Quando começar o próximo episódio de emancipação.

Mãos Vazias De Areia

Posted: by Lux Alt in
0

E nas mãos de areia,
Derreteram-se as considerações
De quem se dizia tão livre!

Quem iria imaginar que
Por detrás de tanta auto-afirmação
Haveria a coerção...

E tudo o que emanou
Das ondas cerebrais foram mais falácias
De auto-libertação aprisionada em calabouços de areia.

Lacunas Da Inspiração

Posted: by Lux Alt in
0

As lacunas dos desejos de sermos
Algo mais do que o possível
É o que nos torna simplesmente humanos.

E quando buscam o preenchimento
Com divindades abrem-se ainda mais
As fissuras do complemento essencial,
Do que a lacuna vazia era antes.

A janela de suas possibilidades jamais será aberta
Por falsas inspirações invisíveis.
Você tem a chave, você tem as mãos. Abra a sua!

Pequeno Desajuste

Posted: 13 de dez de 2008 by Lux Alt in
0

O caos de que você fala
Não passa de uma desordem
Nos seus aforismos de ordem.
E por mais que tente achar
Uma resposta para
O alinhamento da loucura,
O limo dos delírios ainda estará
Atravessado no que você tinha
Como ordem de ser desajustado.

+ 1 Momento Puro

Posted: by Lux Alt in
0


Nem adianta fazer estardalhaços,
Não mais risadas nem palhaços.
Nem adianta dizer asneiras,
O coração ficou em estilhaços!
Não romperá as barreiras,
Não mais mentiras verdadeiras.

Nem adianta calar o pensamento,
Não fechará a fala do tormento,
Tudo o que passou entre nós foi só 1 momento.

Caminhos Zumbidos

Posted: by Lux Alt in
0


Um longo caminho se fez diante da esperança,
E mais uma noite ficou ofuscada entre o delírio
De ser real e o delírio de estar na estrada certa.

Um longo caminho de ferro determinou o destino,
E mais uma vez quem desejava teve o desejo
Esquartejado por quatro quarteirões.

Um dia você pode pensar que pensava
Que esse era o melhor caminho a seguir,
Um dia talvez seja essa noite novamente,

Onde você terá que decidir se quer
Retornar ao caminho das lágrimas
Ou se quer caminhar por uma estrada
Que não seja uma linha determinada.

Quando As Vacas Viram Peixes

Posted: by Lux Alt in
0

Era uma vez Mimosa, uma vaquinha nada especial,
Assim como nenhuma das suas companheiras
De cativeiro de fazenda de leite.)
Mimosa nasceu ali...
Não sabia de modo algum qual seria seu destino,Ou de onde vieram suas descendentes.
Um dia Mimosa resolveu parar de produzir leite,
Pois queria tentar produzir algo mais de sua vida para ela mesma. Isso culminou na transferência de sua casa para uma colônia de abate. Daí para um açougue.

Quem diria Mimosa esteve em uma festinha de aniversario,
Para criançinhas obesas num shopping. Mimosa dividiu-se em milhares de pedaçinhos
Misturada a muitos pedaçinhos de outras de suas colegas de infância. Em seguida da merda das criançinhas obesas,

Mimosa foi para rios que jamais imaginaria conhecer...
Mimosa se encontra agora em milhares de peixes num vasto mar.

Infelizmente só agora ela está livre.
Tentando não virar gatinhos.

Torres Do Futuro

Posted: 11 de dez de 2008 by Lux Alt in
1


Depois de todos perderem suas mentes,
Terão perdido suas cabeças também;
E que não tenha sido por prazeres ou paixões...

Quando estiverem caminhando por mares de noites inconstantes,
Saberão que mais uma vida fluiu para o não existir.
E os caminhos mais inspirados cairão no desuso de ser futuro,
Pelo simples fado do futuro não importar.

Moldura Vazia

Posted: by Lux Alt in
0

Que um dia se olhem no espelho
E vejam seus reflexos sangrados
Na agonia da perfeição virar cinzas.

Que um dia tudo o que foi belo um dia
Se torne reprovável pelo simples fato
De ter sido beleza falsa.

Que um dia todos sejam insuportavelmente
Imperfeitos com suas manias
De estética estatisticamente perfeita!

Que um dia sejam simplesmente um quadro
Abstrato de arte esquecidamente esquartejada.

Um Dia Depois Do Dia

Posted: 10 de dez de 2008 by Lux Alt in
1

Um dia depois do dia,
Não sentiriam mais a sensação de futuro...
E tudo não mais teria sentido.
Se o dia fosse sentido como O Dia.

Um dia depois do dia,
Não mais sentiriam as lembranças desnecessárias,
E tudo não mais teria sentido.
Se um dia o dia fosse sentido como O Dia.

Um dia depois do dia não seria depois,
Se o único dia fosse O Dia! O Hoje!

Único Muro Do Horizonte

Posted: by Lux Alt in
0

Além do horizonte, embora não lembre perfeitamente...
Eu encontrei um mundo novo e diferente.
Cheio de portas a se abrirem para novas construções de novidades.
Num paraíso de nuvens fofas de reflexão e realidades.

O que me disseram para desacreditar como surreal,
Era exatamente no que eu confiava por instinto natural...
E mesmo que não tocasse com tanta confiança nas paredes,
Os pés descalços sentiam o conforto do inesperado.

Além do horizonte pude ter a certeza
De que não há mais um horizonte só para se atravessar...
E sim todos os horizontes que se pode imaginar!
O único muro sempre foi e sempre será a imaginação!

Sistema Alimentar

Posted: by Lux Alt in
1


Sentimos questões
Que não sabemos perguntar,
Calamos antes de sentir
O resto da dúvida.
Trancamos-nos em cascas milenares de pecado,
Esperando um dia sermos podados
Pelas serras elétricas da loucura.

E é na não razão que somos mais prósperos
Com nossas raízes,
Levando para flores do inconsciente
Nossa seiva bruta instintivamente libertária!

A Distância Das Lembranças

Posted: by Lux Alt in
1

A distância me fez deslembrar
Tudo o que eu queria realmente
Dos tempos que não regressam mais.

Não mais sei se a chuva era realmente gélida,
Ou se a moléstia era pior do que se banhar
Com as lágrimas do atravessado.

É um longo caminho até a constatação do isolamento.
Mas algum dia acompanho as reminiscências
Que por estarem martelando não mais são livres.

A distância de você me faz ter a expectativa
De que não mais vou sentir muito sobre nada
Além da distância das lembranças.

Palavras Costuradas

Posted: by Lux Alt in
1


É difícil de acreditar
Em algo verdadeiramente,
Quando juntos choramos
Por tantas mentiras.
É difícil ser realmente sincero,
Quando a mentira é mais fácil
De praticar e de se viver com ela.
Sinto muito,
Mas eu não sinto tanta vontade
De viver nessa farsa de mundo são.

Estranho Mundo Da Liberdade

Posted: by Lux Alt in
1


Andamos sempre por caminhos obscuros.
Que ao fim não levam a tantos lugares luminosos,
Mas o delírio dos mundos estranhamente seguros,
Sempre mostra novas estradas para os corajosos.

E não importa se subimos ou descemos na realidade.
Se vamos à frente ou para trás.
A parada final é a premissa da liberdade!

O Que É Paradoxo?

Posted: by Lux Alt in
1

O que é crime então para a custodia libertária?
Quem é considerado são tem postura contrária!
O que é loucura para quem condena manicômios?
Quem é considerado como ativo é na verdade anônimo...

Quem é você que tem medo de ser incoerente,
E termina inibindo o que realmente sente?
Quem é você que nunca sentiu o que é dor,
E grita categoricamente que a vida é caos, ódio e terror?

O que é moral então entre humanos instintivos,
Se desrespeitamos o espaço alheio sem o menor pudor...
Quem é você que expõe ser o mais coerente e ativo,
E está preso na vinculação libertária de instigador...

Quem é você? Só é mais um vivo sonhador...